terça-feira, 30 de setembro de 2008

Mais que as Palavras, as Imagens sao a nossa razão.





























Centro Histórico Leiria












Exposiçao Colectiva de Pintura - Jorge santos



Irá realizar-se uma exposiçao de azulejos, da autoria de Jorge Santos no restaurante Tanoeiro sito na Rua Barao de Viamonte entre os dias 01 a 31 de Outubro de 2008.

Jorge Santos pintor , natural de Leiria, nasceu a 30 de Dezembro de 1964. Tirou o curso de formaçao em azulejaria/Ceramica, integrado no programa Escolas-oficina na Batalha, que teve inicio a 01..03.2000 e terminou a 28.02.2001. participou na Feira Nacional de Artesanato e Gastronomia da Marinha Grande ( 2001, 2002 e 2005 ). Realizou uma exposiçao colectiva de Pintura em Azulejo na Galeria capitel - 2001.

Participou na Feira Internacional de Artesanato Costa do Estoril em Lisboa - 2004.

Com esta iniciativa o pintor expoê pinturas em azulejo, tendo como tema o Centro Histórico de Leiria, num dos restaurantes tipico da nossa cidade. Convidamos todos os Leirienses a darem um passeio pelo nosso Centro Histórico e a saborear um petisco no restaurante Tanoeiro e apreciar toda a arte e paixão deste jovem pintor pelo nosso Centro Histórico.

Centro Histórico de Leiria

domingo, 28 de setembro de 2008

A juventude







E se neste dia tivemos a felicidade de partilhar a alegria dos mais experientes e dos grandes amigos do centro, tambem tivemos o prazer de receber a alegria das crianças da nossa cidade, que passaram a noite numa verdadeira roda viva, de alegria em grito de felicidade, onde imperava a felicidade nos seus rostos e o sentimento de viver neste belo local maravilhoso começa a sentir-se nas suas veias. O futuro do centro historico está garantido por este jovens que desfrutam imenso o prazer de viver o centro Historico


Centro Historico Leiria

O Nosso Centro Historico - Mercado Mediéval






Obrigado, obrigado, obrigado.... Leiria.




Só podemos dizer a todos os Leirienses o nosso muito obrigado pelo sucesso de mais um evento no Centro Historico de Leiria. Este sucesso deve-se aos Leirienses e a todos os comerciantes que aderiram ao mesmo. Jamais pensariamos ter o prazer de dizer que este evento ultrapassou as fronteiras do tempo e fazer-nos recuar 30 anos para termos um termo comparativo de afluencia do publico Leiriense. Os mais idosos diziam com um sorriso de orelha a orelhas, que o Centro estava finalmente vivo novamente e que a noite fazia lembrar uma noite de verão dos anos 70 do seculo passado.
Estas mulheres merecem um Centro vivo e revitalizado, porque o esforço delas ( de duas geraçoes diferentes mas que lutam pelo mesmo ) merece que lhes prestamos a homenagem pelo seu esforço e enorme dedicaçao.
Centro Histórico Leiria





quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Mais uma para pensar

O Leiria Shopping que está a ser construido pelo grupo Sonae, ira ter 108 lojas, com 1900 lugares grátis.

Como pode o comercio tradicional sobreviver, se até para se tomar um simples café somos obrigados a deixar uma moeda nos cofres de alguem que a Câmara intitulou de parceiro.

Um simples café no centro histórico passará a ser dos mais caros de Portugal, pois temos que pagar o custo do café, o iva e outra taxa municipal..., o estacionamento.

Com uma câmara Municipal assim alguem precisa de inimigos ???

Nós já temos o nosso...


Centro Historico Leiria.

Exemplo para refletir

Hoje no Jornal de Leiria ( 25 Set. 2008 ) vem um artigo onde descreve a realidade do comércio na Marinha Grande, tendo como tema central o excesso da oferta comercial como factor da crise que se vive no comércio daquela cidade.
Temos mencionado no artigo varios relatos de comerciantes, que passam pelos comerciantes da zona histórica, até aos comerciantes do ultimo shopping - O Cristal Atrium .

Todos se queixam que o principal problema é o excesso de oferta, estando neste momento lojas a fechar no Cristal atrium um centro novo. Logo o que temos conversado e demonstrado para Leiria tem toda a razaão de ser ou seja a oferta já neste momento supera a procura e a abertura de mais 400 lojas só vai trazer maior degradaçao economica e social.

O apelo que Leiria deveria fazer era a que o executivo tive-se uma maior visão estratégica para a cidade e não uma visão - olhar de umbigo.

As novas geraçoes não tem culpa da falta de visao dos nossos governantes e nem deveriam ter essa pesada factura para pagar.


Centro Historico Leiria

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Falta de reabilitaçao urbana está a prejudicar o comercio de rua

As medidas legislativas recentemente aprovadas que pretendem agilizar a reconversão urbana do centro historico da nossa cidade não está a surtir efeitos praticos. Continuamos a assistir a processos de licenciamento demasiadoamente longos, que em muitos casos acabam por impor restriçoes de tal modo exigentes que provocam o abandono dos projectos ( de reabilitaçao ) por parte dos investidores.

No centro historico de Leiria isso tem-se verificado sistematicamente.

No mercado do investimento tem-se verificado um crescente interesse na constituiçao de portfólios de lojas de rua, numa clara estrategia de antecipaçao da evoluçao esperada do mercado. Tambem os consumidores mostram cada vez maior apetencia pelo comercio de rua, já que cada vez mais o acto de compra é uma derivaçao natural da necessidade de lazer. Contudo esta apetencia choca de frente com os predios devolutos ou em mau estado de conservaçao, colocando naturalmente em causa o pretigio que se pretende ver associado a esta importante zona.

Um elevado numero de lojas individuais ( não inseridas em grupo ) diminui a capacidade de criar valor e serviços para o cliente, pelo que é cada vez mais urgente o associativismo no comercio tradiçional. Importa afirmar que a degradaçao urbana nao convive bem com a evoluçao humana e comercial.

Temos pois que ser mais celeres na procura de alternativas aos problemas burocraticos do executivo e assim podermos ser capazes de levar os projectos a bom porto ( reabilitação urbana )

Centro Historico Leiria

QUE FUTURO PARA LEIRIA.

Com a prevista abertura de mais 2 centro comerciais de dimensoes consideraveis, iremos ter uma oferta de mais 310 lojas, o que numa cidade já com o comercio doente, irá ser não um problema comercial, mas sim um problema social.
Num estudo da firma Cusman & Wakefield, onde menciona que a abertura de centros comerciais poderá a breve prazo levar que os mesmos possam sofrer uma diminuiçao da rentabilidade, pondo mesmo em risco a sustentabilidade dos empreendimentos em algumas zonas do pais onde a oferta supere a procura. (Este estudo foi publicado numa revista da especialidade referente ao mês de Outubro de 2008.)
O que se irá verificar na zona de Leiria é a abertura num prazo maximo de 2 anos de dois centros comerciais de elevada area comercial, assim como de novos espaços de diversão cultural ( salas de cinema ).

Como podemos verificar que a oferta em Leiria já supera a procura, encontrando-se neste momento 2 centros comerciais com problemas graves de sustentabilidade. Para não falar numas galerias que se encontram à uma decada ao abandono no centro da cidade.

Como pode uma Câmara autorizar a abertura de mais 2 centros comerciais ? pondo em causa a propria estrutura social da cidade ?.

Simples, ao longo destes anos temos assistido a erros grosseiros de gestão do espaço publico, com escolhas que diminuiram a capacidade de rentabilizaçao da propria cidade, a que o cidadao Leiriense não contestou viamente, dando a sensaçao de que nada acontecia. Logo estas escolhas têm um custo muito elevado para a cidade e não estando em condições de o rentabilizar a Câmara ira pagar o seu erro com outro muito mais grave. Tudo isto porque neste momento estamos perante uma gestão do sufoco, onde não se faz uma gestão a longo prazo mas sim uma gestão do dia-a-dia, que irá levar a cidade a ter graves problemas sociais. Tudo isto irá produzir num futuro proximo mais desemprego, assim como mais falencias dos pequenos e medios empresarios arrastando consigo familias inteiras para o fosso da miseria economica e social, visto Leiria não ser uma cidade industrial mas sim de serviços, sem alternativas.

O que prevemos é que se estas politicas não forem banidas, estaremos presente um alargamento dos problemas já existentes no centro historico. A degradaçao dos edificios, o abandono das areas comerciais, irá de certeza ser mais abrangente, indo ao encontro de outras areas tais como o D.Dinis e Maringá. Irá levar os empresarios menos cautelosos a investirem nos novos centros comerciais e a sofrerem um aumento significativo de despesas correntes que o mercado não ira´permitir pagar, logo o processo de falencias e desemprego irá disparar para numeros alarmantes. O exemplo do centro historico não foi suficiente para este executivo, que insiste sempre na mesma politica de grandezas, que depois não consegue liquidar. A isto podemos somar a cumplicidade de varios organismos que são geridos por empresarios por herança e não por profissão, o que torna desde logo as suas organizaçoes incapazes de ter argumentos suficientes e até podemos dizer que não interessa a esses empresários dificultar as linhas de orientaçao da Câmara, porque outros valores se levantam. Nenhum pequeno e medio empresario faz negocios com cidades germinadas a não ser os que se encontram em determinadas cadeiras do poder associativo.

Devemos pois analisar o que temos hoje e para onde nos pretendem mandar amanhã, com a certeza porem que o amanhã será mais negro do que brilhante.

Está na altura da cidade acordar e analisar o que quer ser, uma cidade com futuro ou um futuro sem cidade.

O Centro Historico de Leiria irá lutar para continuar vivo, embora este executivo persista em continuar com a sua perseguição doentia, o abandono e desprezo são sentidos diariamente, por aqueles que deveriam ter a obrigaçao politica e social de preservar o coraçao de uma cidade que os acolheu e abraço com carinho, e que se sente cada vez mais morta.
Não interessa programas de maquilhagem a esta cidade, nem ao centro historico, como os novos programas que a Câmara irá levar a cabo nos proximos anos, o que interessa são operaçoes profundas por forma a que os problemas deixem de existir e se recupere num prazo muito curto o habito de se viver na cidade e para a cidade e não de se viver da cidade.

Se Leiria levar o tempo a ser recuperada como a Casa dos Pintores, estaremos dentro de uma decada ainda a ver se conseguem colocar uma placa com a sinaletica - Centro Historico. ( sabiam que não existe nenhuma em Leiria ? )

È caso para dizer " porque não te vais embora..... "

CENTRO HISTORICO LEIRIA

terça-feira, 23 de setembro de 2008

PREPARAÇAO DO MERCADO MEDIEVAL


Já começamos a dar os ultimos retoques na roupa para o mercado medieval. Os jogos de epoca já se encontram prontos, assim como já temos varios comerciantes com as suas iniciativas bem oleadas e prontas para serem visitadas pelos Leirienses.


Mais uma vez solicitamos a todos os comerciantes que se empenham na divulgaçao da sua loja, pois só assim poderemos ter um evento que ficará na memoria dos Leirienses durante muito tempo. Viver Leiria e em Leiria sempre no Centro Historico .



Centro Historico Leiria


domingo, 21 de setembro de 2008

HOJE ESTAMOS DE LUTO




Hoje o comercio do centro Historico Leiria foi literalmente apunhalado mortalmente pelas costas pelo Camara Municipal Leiria.

No seguimento da semana da mobilidade de 2008, foi escolhido como palco dos eventos o Centro Historico Leiria. Esta escolha mereceu de todos nós um grande aplauso, mas estavamos enganados ( mais uma vez ), toda a boa vontade não era mais que um presente envenenado.

O programa tinha o seu ponto mais alto os dias 20,21 e 22, mas facilmente verificamos que a mensagem que a camara passou foi PUBLICIDADE ENGANOSA.

Dia 20 - tema " Comercio na rua "

Que comercio ??? - O da restauraçao existente na Praça Rodrigues Lobo, pois todo o Centro Historico foi esquecido. Ou estava a Câmara de Leiria à espera que a grade que deixou no inicio da Rua Barão de Viamonte ( Rua Direita ), grade essa que a camara achou como a forma mais correcta e adquada no seculo XXI, para pôr em pratica o despacho de autorizaçao das alteraçoes ao transito, datado de 15 de Junho assinado pela Srª. Presidente Câmara e que foi rectificado em reunião de Câmara, nos termos do nº. 3 do artigo 68 da Lei nº 169/99, de 18 Setembro, possibilita-se o comercio de ir para a rua ??. Pois estava redondamente enganada. Os comerciantes que durante 3 meses colocaram a grade no inicio da rua, ainda a colocaram, mas rapidamente a retiraram ( outros interesses se levantaram, basta ver os jornais das semanas anteriores, para saber quais são ).

Logo o tal programa fantasma ( pois o que não tem força de lei não vale ) não seria cumprido por culpa da Câmara Leiria, pois se o fecho da rua era inserido no programa da semana da mobilidade, porque motivo não esteve um policia no local para impor a lei ??, como nos outros locais que impediam o acesso à zona delimitada pela Câmara, para o programa da mobilidade ?

A resposta é simples, porque o executivo tem 2 realidades e 2 escolhas. A realidade do dia e a da noite e a escolha da cidade e o desesprezo pelo Centro Historico Leiria.

A realidade do dia é o respeito pelas ordem municipais, respeito pelas directrizes do executivo, pela ordem publica e cumprimento das leis nacionais ( transito, barulho, higiene, etc, etc, etc...). A realidade da noite é o vandalismo puro, o barulho sistematico até altas horas da madrugada, pela ocupaçao da via publica de uma forma abusiva e descarada, pela degradaçao social, pelo roubo da dignidade humana, pela forma sistematica da degradaçao e vandalismo de bens de outrem, pelo roubo do descanço e dos direitos consagrados pelo estado Português aos residentes do Centro Historico ( para o Municipio estes não são considerados Leirienses, nem existentem ).

A escolha essa é clara, divulgaçao e aposta de toda a cidade, de norte a sul, de oeste a este, menos no Centro historico Leiria, esse é esquecido, marginalizado e nem sequer merece um comprimido para atenuar as grandes dores de cabeça causadas pelas má escolhas do executivo e pelos problemas que o mesmo arranja aos comerciantes e residentes.

Ou seja no dia 20 ( Sabado ), não foi cumprido o estabelecido entre a Câmara e os comerciantes do Centro Historico, porque a mesma não cumpriu mais uma vez com as suas obrigaçoes.

Dia 21 - Horario alargado dos estabelecimentos comerciais do Centro Historico - das 10h00 às 13h00 e das 15h00 às 20h00.

Como se pôde verificar, nada foi feito no sentido de ser possivel realizar a abertura dos estabelecimentos. Porquê ? - 1º- A Câmara Municipal leiria não informou os comerciantes desse hórario - 2º- Toda a animaçao estava mais uma vez na Praça Rodrigues Lobo e Rossio. 3º- Não existiu um roteiro informativo das actividades relacionadas com o dia 21, a colocaçao de 2 homens estatua fora da Praça R. Lobo, um no Terreiro outro em frente á Sé, só foi possivel descobri-los porque a a informaçao foi dada de boca-a-boca, aos que se encontravam na Rua Direita, ( meia duzia de pessoas ) - tivemos o desabafo de um dos participantes que este tinha sido o pior evento até hoje realizado, onde o mesmo tinha participado, pois esteve sempre sozinho numa cidade fantasma. O Peddy Paper alguem viu ás 10h00 ???, ou noutra hora na rua Direita ???

No final só tivemos actividades mais uma vez na Praça Rodrigues Lobo e no Rossio.

Iremos enviar à Exma Srª. Presidente um mapa do Centro Historico de Leiria, como prenda de natal antecipado, pois o dela e do seu executivo está à muito desactualizado, o Centro Historico Leiria tem uma area muito maior, pena o seu pelouro " incluir o Centro Historico " e nunca a vimos no terreno, ( deve ser culpa nossa, pois andamos a ver mal ) para poder constactar que no CENTRO HISTORICO LEIRIA AINDA EXISTE VIDA.
Não basta assinar protocolos, se o que se faz a seguir é zero x zero = zero.

Pelos pressupostos acima mencionados e explicados, hoje dia 20.09.08, a Câmara Municipal de Leiria faleceu para o Centro Historico de Leiria, pelo que estamos de luto profundo.

CENTRO HISTORICO DE LEIRIA

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

A MENSAGEM


No seguimento da reunião do dia 13, com representantes do PS-Leiria, começaram as nossas preocupaçoes e as iniciativas a ter voz. O jornal de Leiria - Regiao de Leiria, publica hoje dia 19.09.08 a noticia da referida visita, já começamos a ter voz na cidade. Anexo a noticia ne integra

"
PS ouve queixas de comerciantes e moradores sobre centro histórico
Texto deJoão Carreira
Luís Ferreira, um dos comerciantes do centro histórico de Leiria, resume: “Acabou o tempo para o Centro Histórico”. Traduzido por miúdos, explica, de seguida, não haver tempo para mais promessas ou diagnósticos. É hora de agir ou será tarde demais. A presidente da Concelhia do PS, no final da visita guiada pela zona histórica que também ela habita, concluiu que “na visita que o Partido Socialista fez ao centro histórico foi possível constatar a profunda degradação do edificado, a desertificação e estado de abandono em que se encontra grande parte desta zona da cidade”.Nuno Sequeira, proprietário de um restaurante na rua que rasga a parte mais antiga da cidade, junta-se ao grupo a meio do percurso, mas ainda a tempo de secundar algumas das críticas já desfiladas junto dos dirigentes socialistas, ao fim da tarde de sábado. O estacionamento abusivo, a insegurança, sobretudo, à noite e a ausência de sinalética específica são questões que se somam aos reparos de Luís Ferreira sobre a dificuldade em agir no centro histórico sem que a autarquia crie obstáculos.Sem medo. Razão pelas quais a líder do PS/Leiria sublinha que os comerciantes e moradores presentes “expressaram o seu desencanto” e “lamentaram a inexistência de um plano de reabilitação e requalificação, bem como a permanência de entraves burocráticos e a falta de apoio da autarquia para quem, ainda, aposta viver e comerciar no centro histórico”.E soluções do PS, existem? Odete João diz que é “prioritária a requalificação”, a “reabilitação urbana e patrimonial”, assim como “apoio ao repovoamento, aos comerciantes e moradores e a criação de incentivos ao investimento e à recuperação do edificado”. Para a líder socialista e deputada na Assembleia da República, “a reabilitação e dinamização do centro histórico deve ser encarada como factor decisivo na melhoria da qualidade de vida em Leiria e é fundamental para a dinâmica económica e social”. A um par de anos do nascimento de um mega centro comercial perto do actual mercado municipal, Luís Ferreira diz que “os comerciantes não têm medo”. Mas deixa o recado: “Deixem-nos trabalhar”.Casas emparedadas não detêm toxicodependentesAlguns prédios devolutos são usados por toxicodependentes para pernoitar e nem mesmo o facto de a autarquia ter emparedado as portas resolveu a situação. Alguns engenhosos buracos nos tijolos criaram uma escada improvisada e uma corda, no topo, dá o final empurrão à entrada, pela janela, no prédio abandonado. Casos que segundo os comerciantes já foram reportados à PSP.“Estes casos que envolvem ou toxicodependentes ou alguma mendicidade estão devidamente identificados e foram informadas as autoridades competentes”, disse fonte das relações públicas da PSP. O facto de ser invadida propriedade alheia não é da alçada da PSP? “A PSP não tem competências próprias nestes casos, que dizem respeito, como deve compreender ao proprietário e ao município”, assegura a mesma fonte. "

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Reunião 13.09.08

Realizamos no dia 13, sabado uma reunião com uma comissão de representantes do PS-Leiria, tendo como representante maximo a Drª. Odete João. A reunião teve como tema central o Centro Histórico de Leiria. Efectuamos uma visita guiada onde foram analisadas varias situaçoes existentes no CHLeiria, e discutidas as alternativas que gostariamos que fossem levadas em conta para a resoluçao dos problemas existentes nesses casos.

A reunião teve uma forte troca de ideias para o nosso CHLeiria, o que nos agradou imenso, pois verificamos que já existem projectos e ideias para dinamizar e desenvolver o CHLeiria.
Estamos e estaremos sempre abertos a discutir o CHLeiria, com quem partilhar da mesma paixão que nós, o CHLeiria.
Num fututo proximo iremos realizar mais reunioes, com a finalidade de captarmos mais apoiantes para o nosso esforço de reinventar o CHLeiria.
Agradeçemos todo o apoio manisfestado, à Drª. Odete João, assim como a todos os participantes nesta reunião.

Juntos seremos mais fortes.

CENTRO HISTORICO LEIRIA

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

EVENTO DIA 27 - MERCADO MEDIEVAL

Convidamos todos os comerciantes do Centro Historico de Leiria, a participarem e a dinamizarem o sabado dia 27 de Setembro 2008 com um evento - " Mercado Medieval ".
O conceito, como o nome indica é transformar o CHLeiria num mercado medieval com os comerciantes trajados à epoca, com bancas de rua, com actividades ligadas à epoca ( jogos, passatempos, animaçao, etc ). Aproveitamos para convidar todos os Leirienses a participarem neste projecto pequenino que se que grande, mas temos que começar de pequeno para sermos grandes um dia.

CENTRO HISTORICO LEIRIA

Noticia dia 3 Setembro - Diario Leiria

Parabens ao Diário de Leiria pela sua fabulosa reportagem do dia 3 de Setembro de 2008.
Dizemos um grande obrigado pela essência da verdade existente na reportagem e pelo trabalho construtivo para com o Centro Historico Leiria, não entraram pela polemica, pela intriga, mas reportaram e fizeram um trabalho cuidado e com uma analise, onde impera toda a verdade da situaçao do CHLeiria.
Noticias e apoios desta genese, são sempre bem-vindos, precisamos de toda a verdade e apoios de incentivo, só assim conseguimos lutar contra os enumeros fanfarroes existentes por aqui, esses que somente dizem mal por dizer. Obrigado DIARIO DE LEIRIA.

CENTRO HISTORICO LEIRIA