segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

MAIS UMA OPORTUNIDADE PARA O CHLEIRIA


No seguimento das nossas politicas de desenvolvimento para o CHLeiria, onde afirmamos e defendemos que o unico lugar com capacidade de se tornar um lugar de " culto comercial ", é o Centro Historico Leiria, e se existir dinamica e empenhamento de todos poderemos ter um centro comercial a Céu-aberto com qualidade, historia e futuro. Prova do que tenho defendido é o comunicado do Grupo Lena enviado hoje à Câmara Municipal de Leiria, onde informa que desistiu do projecto para a construçao do Forum, porque o mesmo é inviável
No balanço dos 6 meses, digo e repito que o executivo não tem visão estrategica para a cidade e a prova disso é o texto em anexo.

Mais uma vez é dada oportunidade aos comerciantes do CHLeiria e à própria CMLeiria de recuperar o CHLeiria e dar-lhe o lugar de destaque, que o mesmo merece na cidade de Leiria.
Mais que as minhas palavras, os actos e opiniões dos grandes grupos economicos falam por si e dão razão á inevitavel verdade dos factos.

" Consórcio desiste da construção de mega-centro comercial em Leiria
29.12.2008 - 18h41 Lusa



O consórcio Multi Development/Lena Construções, que ganhou o concurso para a construção de um mega-centro comercial na cidade de Leiria, anunciou hoje que desistiu do projecto devido ao atraso na adjudicação e à conjuntura económica.Em comunicado, o consórcio invoca um "desajustamento do projecto à realidade, devido ao atraso na adjudicação" e às "muitíssimo adversas condições económicas e financeiras da conjuntura nacional e internacional" para se desvincular do projecto Forum Leiria. A mesma nota, que cita uma carta enviada à Câmara Municipal de Leiria, refere que a proposta do MDC/Lena "foi apresentada em 10 de Julho de 2007, ou seja, já há um ano e cinco meses, e que foi adjudicada ao consórcio há já seis meses". Tendo em conta o decurso do tempo, o consórcio faz saber que a proposta "ficou desajustada da realidade a um ponto tal" que deixou de haver "interesse objectivo na respectiva execução". Por outro lado, o MDC/Lena aponta o "impacto vincadamente negativo nos sectores imobiliário e bancário e na actividade do consumo em geral", situações que "prejudicam, a montante, a estratégia de financiamento com capitais próprios e alheios inicialmente pensada e, a jusante, a estratégia comercial agregada à (futura) unidade comercial de dimensão relevante". Confrontada com a desistência do projecto, a autarquia afirmou que "oportunamente serão dadas informações". O anúncio do consórcio vencedor para a construção do Fórum Leiria ocorreu a 01 de Abril, a que se seguiu um recurso do consórcio classificado em segundo lugar. a Chamartín. Dois meses depois, a Câmara confirmou a intenção de entregar a empreitada ao MDC/Lena, mas a Chamartín interpôs uma providência cautelar no Tribunal Administrativo e Fiscal de Leiria. A decisão da primeira instância foi favorável à Câmara de Leiria, mas o consórcio derrotado recorreu para o Tribunal Central Administrativo Sul. Ao concurso público para a construção do primeiro mega-centro comercial da cidade de Leiria concorreram três consórcios que se comprometiam a assumir contrapartidas obrigatórias para o município, desde a construção de um pavilhão multiusos, um novo mercado, um centro associativo, um novo parque de lazer ribeirinho e a conclusão do topo norte do estádio de futebol, um dos palcos do Euro2004. O grupo vencedor - que gere os centros comerciais Forum - era o que oferecia mais dinheiro (1,5 milhões de euros) e 65 milhões nas contrapartidas obrigatórias, propondo ainda assumir a construção de um parque desportivo, um patinódromo e a relocalização do Mercado do Levante. Já o grupo Chamartin (proprietário dos shoppings Dolce Vita) oferecia 1,2 milhões em dinheiro, 73 milhões de euros em contrapartidas, mais a relocalização do Mercado do Levante, uma galeria cultural e a antecipação dos prazos de construção de dois anos para 19 meses. Finalmente, a Multicenco (do grupo Immochan, que possui os hipermercados Jumbo) previa a relocalização do Mercado do Levante como única contrapartida facultativa, oferecendo também cem mil euros em dinheiro e 39 milhões nos equipamentos impostos pela autarquia."




CENTRO HISTORICO LEIRIA


domingo, 28 de dezembro de 2008

BALANÇO - 2008 - PARTE I


Depois de iniciado o MOVIMENTO e desenvolvidas varias acções para a recuperação do CHLeiria, quer a nível comercial quer a nível da sobrevivência social, eis que chegou a hora de podermos fazer um pequeno balanço destes 6 meses da nossa iniciativa. Para uns a iniciativa foi entendida como uma promoção social e política, para outros uma iniciativa incomodativa e por fim para algumas pessoas foi mais uma preocupação, pois aparecemos onde eles pretendiam estar, ou seja no centro da polémica e na defesa de um lugar emblemático da cidade de Leiria. Não irei falar daqueles moradores anónimos e dos comerciantes do CHLeiria que sempre estiveram na frente da batalha contra os interesses instalados durante uma década na nossa sociedade (porque esses são a base da nossa iniciativa e num futuro próximo eles terão o destaque merecido sem que para isso seja necessário falar deles, a cidade irá reconhece-llhes e dar-lhes o valor merecido). Para todos aqueles que duvidaram e colocaram e colocam entraves, para que nada funcione por vários motivos que agora, já os conseguimos entender e os podemos combater de forma a seguir em frente com o objectivo inicial, ou seja conseguir realizar um sonho, o sonho daqueles que pretendem recuperar e desenvolver o centro histórico de Leiria num lugar competitivo e dinâmico, na vertente habitacional e comercial em pé de igualdade com outras zonas da cidade.
No CHLeiria existem 4 classes de empresários – os " Arquitectos da intriga " – empresários em que o principal objectivo é dividir e colocar em causa as acções e objectivos e os" Doutores da mentira ", em que o seu objectivo e introduzir mentiras e alimenta-las até que a mentira se torne verdade, e por fim os " Empresários da vela", ou seja, que funcionam conforme sopra o vento, embora nunca tenham encontrado o rumo certo por força das 2 classes interiores e porque ambas são mais fortes que a inteligência do individuo. Todos juntos são a principal força de bloqueio, quando deveriam ser a força da mudança. A juntar a todos estes empresários temos no cimo da pirâmide um executivo que não tem uma politica definida para o CHLeiria, onde onze anos não foram suficientes para conseguirem analisar, ponderar e planear um plano a longo prazo para o nosso CHLeiria, e podemos afirmar que é muito pouco para um executivo que não teve uma visão estratégica para o CHLeiria e que mais QREN menos QREN jamais irá resolver(porque o que planearam com base no novo QREN não é mais que limpar o lixo para debaixo do tapete), porque os problemas estruturais do CHLeiria e da sua população continuam com a construção de um novo jardim na encosta do castelo ou naõ, onde mais arvore menos arvore, a área degradada, despovoada, decadente e suja do CHLeiria continua igual ao que era no passado, continua hoje e será amanha, se a população não for informada dos projectos, assim como não tiveram o cuidado de chamar a população a participar e a dar a sua opinião para que a população sinta que são a parte mais importante deste projecto e que no futuro a cidade tenha um cunho de cidadania-politica, isto sim seria responsabilizar a população e chamar a ela também o poder de decisão na área do planeamento urbanístico e estrutural da nossa cidade. Esta será a politica do futuro a politica de aproximaçao. Mas infelizmente essa não é a visão do executivo que ao longo de uma década tem esbanjado milhões de euros com projectos megalómanos e desnecessários para Leiria, onde o maior exemplo foi a construção de um estádio de futebol, numa cidade que nem sequer tem paixão clubista, é o mesmo que construir um barco para andar no deserto de Marrocos com a promessa que depois se irá comprar um grande mar para se poder navegar com esse barco. Contudo esses projectos só foram possíveis devido à falta de participação cívica e à falta de uma forte oposição política que não existe na nossa cidade, e à falta de responsabilidade cível dos nossos políticos, penso pois que chegou a hora de existir essa força de opinião e a luta por uma política de fundo, onde as forças políticas assumam as suas responsabilidades e se retratem para que no próximo ano (ano de fortes decisões) exista uma cultura política da verdade e não de interesses político/ partidários, porque para isso o CHLeiria não irá servir como bandeira eleitoral. Todas estas palavras não são e nunca serão ataques pessoais de umas pessoas contra A ou B, mas sim de opinião contra politicas erradas e demagogas num pais que é pobre e será pobre se não retirarmos estes pseudo-estrategas dos centros de poder, porque o poder é neste momento a voz de uma pessoa ou por teimosia ou por incapacidade de ouvir a razão, através do bom senso e sentido da responsabilidade politica, porque quem governa é empregado do povo e deve governar para o seu publico, ou seja os políticos deviam governar e respeitar o Leiriense e não faltar-lhe sucessivamente com a maior da regras bases de uma democracia – a verdade.
Feita esta pequena introdução irei ser o mais honesto possível com a minha análise, e se tal não acontecer peço desde já as minhas desculpas por algum lapso ou falta de lucidez da minha análise.

Continua ....

CENTRO HISTORICO LEIRIA

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Campanha de solidariedade com a Fundação João XXIII na Guiné Bissau.


O espaço multicultural AS ESCOLHAS DE SOFIA que tem como principio a sinergia entre moda, design, solidariedade, comunicação e outras manifestações artísticas, lança a uma Campanha de solidariedade com a Fundação João XXIII na Guiné Bissau. A Fundação apoia projectos na Guiné Bissau nas áreas da saúde, educação e agricultura. A campanha realiza-se entre os dias 17 e 24 de Dezembro, no espaço As Escolhas de Sofia. Durante este período uma percentagem das vendas será revertida a favor destes projectos. No dia 17 de Dezembro contamos com a presença da Directora da Fundação João XXIII Olinda Pedroso e da Criadora de Moda Sofia de Almeida. Este Natal ajude-nos a ajudar!Contamos com a Sua presença, Galeria EntrePisos


CENTRO HISTORICO LEIRIA

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

ILUMINAÇAO DE NATAL 2008

Rua Barao de Viamonte ( Rua Direita )



Praça Rodrigues Lobo

















Banco de Portugal
Agradeçemos o esforço e a dedicaçao do Dr. Paulo Sobreira na forma apaixonada e empenhada como planeou e colocou em acçao a toda a dinamica do plano " Iluminaçao de Natal 2008 ".
Obrigado, D. Fernando Sobreiro por todo o seu carinho na ajuda, quer no terreno, quer na parte lojistica para que nada falta-se para o sucesso do plano
À CMLeiria pela disponibilidade financeira e lojistica para mais um ano com iluminaçao de natal, do seu esforço e do Drº Paulo Sobreira está a resultar num verdadeiro sucesso para o CENTRO HISTORICO DE LEIRIA.
A TODOS UM BEM HAJAM LEIRIENSES.
CENTRO HISTORICO LEIRIA