sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

FELIZ 2011 LEIRIA

Mais um ano cheio de desejos cumpridos e outros que por intempéries várias ficaram adiados. No entanto e porque temos razões para acreditar que 2011 será melhor que 2010, ficamos felizes por 2010 ter chegado ao fim e dar lugar ao novo ano. Novo ano que nos colocará algumas dificuldades, o que aliás já é normal, todos os anos são difíceis e, somos sempre uns verdadeiros mágicos na hora da ultrapassagem. E este ano de 2011 não será diferente.

A todos os que por vários motivos ou nenhuns, gostam de estar em Leiria e vivem em Leiria, um enorme 2011, cheio de todo o que a vida tem de bom. O critério é vosso, mas o desejo, esse é meu.

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

SONDAGEM AOS VISITANTES

Com a finalidade de percebermos o seu sentimento em relação ao centro da cidade, nomeadamente as dificuldades que para si são mais sentidas, estamos a fazer uma sondagem, ao qual gostariamos que desse a sua opinião. No caso de pretender deixar uma reclamação, sugestão, pode faze-lo no blogue -http://vivoemleiria.blogspot.com. Aqui neste espaço a palavra é sua.

CENTRO HISTÓRICO  LEIRIA

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

23 ANOS DE BOA COMIDA

Mais uma porta que se fecha, mais uma estrela que sai do céu.

É já no final de janeiro que o CHLeiria perde mais uma estrela, a Estrelita vai fechar, uma tasca com 23 anos de muita e boa comida, segundo os “ mestres dos copos “, ou por outras palavras os apreciadores de boa comida. Na Rua Dom António da Costa existe uma tasca, com histórias que se irão perder, não pela falta de memória, mas porque a memória se vai esquecer delas. Leiria vai perdendo as suas gentes e com elas a sua identidade, até ficar vazia de tanto cheiro a mofo.

A cidade está a perder o que tem de melhor e ela ainda não sabe, mas mais vão dizer “ adeus “, até quando…?

Uma cidade que já chora esta perca, segundo alguns clientes, a dieta não surgirá pela crise, mas pela falta da Estrelita. Para quando uma politica de desenvolvimento económico e cultural que junte os dois mundos, o contemporâneo e o global, sem essa visão de desenvolvimento, mais Estrelitas vão fechar e sem elas Leiria fica mais vazia, até ao dia em que irá acordar só.

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

VIDEOVIGILÂNCIA ARRANCA EM 2011


O sistema de videovigilância no Centro Histórico de Leiria será instalado durante o ano de 2011. Não existe uma data em concreto para a sua instalação devido há complexidade do processo, contudo existem fortes índicios que durante o primeiro semestre esta pasta estará concluída.


Esta semana foi dado mais um passo importante para que o processo tenha o sucesso desejado.


Este estudo está a ser elaborado pela PSP de Leiria, em conjunto com o munícipio, para depois ser aprovado pela secretaria de Estado da Administração Interna e pela Comissão Nacional de Protecção de Dados .


A implementação deste sistema não será para combater o problema x ou y, mas sim para cimentar a segurança e persuadir quem não nos visita com as melhores intenções e sentir que a cidade está atenta à sua estadia no Centro Histórico.


Comerciantes e Conselho Municipal estão em sintonia, ambos são favoráveis à sua colocação.


A Vereadora com o pelouro da segurança joga pelo seguro, alegando que o processo é complexo e que ainda é cedo para determinar datas para a sua instalação.


CENTRO HISTÓRIO DE LEIRIA

Rumo ao Futuro





O Centro Histórico de Leiria continua a sua caminhada para a recuperação do seu edificado, com as obras do centro Civíco em bom ritmo.

Neste momento já estão na forja outras medidas, para dar ao centro outra vida, pelo que o proxímo ano será muito fértil em boas novidades.
CENTRO HISTÓRICO DE LEIRIA






sexta-feira, 15 de outubro de 2010

O ESTUDANTE NÃO É PROBLEMA.

Os estudantes não são o problema, o problema é não perceber os estudantes.

Numa altura que se fala dos excessos dos estudante( barulho, álcool e falta de civismo que são os mais comuns), não percebem que não são os jovens o problema do CHLeiria.

O problema é a falta de qualidade lúdica e cultural que a cidade lhes oferece. Numa semana, onde permanecem 5 dias, sem terem onde ir, o que fazer, onde conviver, é normal que o local de culto sejam os bares do CHLeiria. È necessário trabalhar nesta área, a diversidade cultural terá que ter outra dinâmica. Cinema e teatro terão que passar a fazer parte da sua agenda cultural com um acesso mais favorável ( mobilis ) e com um preço vocacionado para os estudantes. As parcerias com os promotores ( cinemas ) terão que ser um dos factores a ter em conta, criar o dia do estudante, no cinema, no desporto, no teatro, será um ponto a desenvolver assim como o comercio terá que oferecer aos estudantes outras condições.

Outro dos aspectos a ter em conta é o desporto. As nossas associações/ clubes não sabem atrair os jovens estudantes para a pratica do desporto no concelho, voltando as costas aos estudantes que poderiam levar o nome de Leiria por este país fora, através da pratica desportiva.

Até hoje a alternativa dada os estudantes foi beber uns copos nos bares do CHLeiria, e os bares aproveitam ( bem ) essa única oportunidade.

Desenvolvam as oportunidades e não a aspirina diária para adormecer a dor, os estudantes agradecem e o CHLeiria também. Se os jovens estivessem divididos e ocupados nestas actividades, os que iam para o CHLeiria não chegariam para acordar “ o morto “. Quem consegue educar massas sem ser com repressão física ou psicológica ?

Vale a pena criar oportunidades…, para acalmar a malta.

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

LEIRIA, CIDADE EXEMPLO

Leiria é hoje uma cidade vazia, sem identidade e perdida no tempo, sem a alma de uma grande cidade.
Hoje é visível que a cidade antiga ( centro Histórico ), se tornou numa zona pobre e fria, com todos os problemas que dai advêm para a cidade e para o seu desenvolvimento. Leiria precisa de um novo e arrojado desafio, que passa pela recuperação desta zona, do seu edificado e da sua vida urbana. O centro histórico pode e deve ser um trampolim para o desenvolvimento económico e social da cidade. A abertura de um open space ( loja do desenvolvimento do centro histórico ) com a finalidade de recolher e desenvolver projectos de recuperação dos imóveis e planificar a sua colocação no mercado do arrendamento para os jovens, tudo num só local, com a capacidade de ser uma loja virtual do centro histórico, onde o potencial do centro seja colocado à disposição do publico alvo. Numa parceria Câmara/ proprietários .
O desafio do futuro é a capacidade de, ao mesmo tempo que se recupera os imóveis, despoletar a descoberta da cidade pelos leirienses mais jovens, que assim possam conhecer e apreciar viver no centro histórico e voltar a dar a esta cidade a vida de outrora. Muito se fala do centro histórico e da sua morte anunciada, se este desafio for levado a sério como um facto de desenvolvimento essencial para Leiria, teremos então uma cidade rejuvenescida e com capacidade de ter um futuro mais promissor com capacidade de atrair o tão desejado sucesso.

Luis Ferreira
Empresário

Diário de Leiria, 13.10.10, rubrica - UM DESAFIO PARA LEIRIA.

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

CÂMARA ACABA COM MAIS UM BURACO EM LEIRIA

Ficou finalmente resolvido o problema do Buraco. A autarquia no passado dia 6 de Outubro deliberou a adjudicação da obra, para que a mesma esteja concluída até julho de 2011, prazo dado para que os fundos comunitários não caiam em “ Buraco roto “. O investimento é de 779 mil euros e a comparticipação do fundo europeu é de 70% ou seja – 545,300.00 euros, podemos dar-nos ao luxo de perder esse valor? – Julgo que não.
No entanto a posição dos Vereadores do PSD é no mínimo curiosa, se não reparem, 12 anos no poder e não tiveram a capacidade de resolver nenhum problema que os mesmos foram criando no CHLeiria (barulho, estacionamento, etc., etc.), digo bem, não tiveram a capacidade de resolver os problemas e um deles, o maior, é o cancro do buraco no CHLeiria e vêm agora criticar o que eles próprios aprovaram no anterior executivo, o projecto. A quem interessa um auditório que fica espectáculo após espectáculo às moscas? Ao CHLeiria não é, aos Leirienses também não.
Dr.ª. Neusa Magalhães, não podem criticar conforme o vento sopra, devemos sim estar ao lado daqueles que durante anos lhe deram o apoio (voto) e que por vários motivos entenderam que V. Exa. e companhia não o mereciam mais. Haja respeito pela cidade e pelos Leirienses. Nós merecemos respeito. No futuro votem a favor da cidade e não dos interesses partidários, estamos fartos desse jogo.

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

ATÉ QUANDO VAMOS TER ESTAS NOTÍCIAS?

O barulho provocado pelos estudantes do ensino superior durante a noite e madrugada,que se intensifica neste período do ano devido à recepção ao caloiro, está a levar alguns moradores a abandonarem o centro histórico. Além do ruído,é ainda frequente os jovens urinarem e vomitarem juntoàs casas.

Residente próximo da Praça Rodrigues Lobo desde que nasceu, um dos moradores
contactado pelo JORNAL DE LEIRIA está a equacionar procurar casa noutro lado, devido
ao desgaste causado pelo barulho permanente, que só o deixa dormir a partir das 2
horas. Ou seja, depois de os bares fecharem e de os clientes se irem embora. “A paciência tem limites.” “Hoje, as pessoas não respeitam nada nem ninguém. E se chamamos à atenção por urinarem à nossa porta ainda nos oferecem um par de estalos”,
conta, indignado, o mesmo morador, de 40 anos.“Quando era mais novo, se eu e os meus amigos ouvíssemos uma janela a abrir encolhiamo-nos logo. Hoje, até a polícia insultam.” Para o morador, o comportamento dos jovens que frequentam os bares do centro histórico irá contribuir para aumentar a desertificação daquela zona, onde o número de residentes diminuiu de uma forma drástica nos últimos anos.

BARULHO ENSURDECEDOR

Benilde Silva, de 45 anos,também vive um inferno numa das ruas com mais bares do
centro histórico, onde reside há seis anos com o marido.Além do volume elevado da
música do bar ao lado da sua casa, queixa-se do ruído provocado pelos jovens que se
reúnem à porta.Embora os jovens frequentem os bares todos os dias,as terças, quintas-feiras e sábados continuam a ser os dias de mais confusão. “As pessoas não são civilizadas. Agem como se não morasse ali ninguém.De manhã, a rua está toda suja de vomitado”, conta Benilde Silva. “Na primeira oportunidade que tiver de fazer casa, saio. Estou farta de dormir sobressaltada.” Mais próximo da Sé, Sílva Hingá, de 73 anos, também passa grande parte da noite acordada. “Estou cansada daquele batucar todas as noites. Depois, é o barulho cá fora.Berram, bebem e dizem asneiredo. Os passeios metem nojo, devido à urina e ao vomitado”, conta.“Se dizemos alguma coisa,
respondem mal. Já me partiram um vidro com uma garrafa que me entrou pela casa
dentro. Só nas férias é que as coisas acalmam”, lamenta Sílvia Hingá. Apesar da gitação diária, a moradora não pensa abandonar o centro histórico.“Moro aqui há 40 anos. Tenho os meus direitos. Os bares é que foram para lá incomodar”,argumenta.
Os moradores queixam--se ainda da falta de policiamento,que entendem que poderia ser dissuasor deste tipo de comportamentos. Dizem que ligam para a PSP e que a resposta que ouvem é que não têm efectivos disponíveis para enviar para o local e que até
são incentivados a despejar água sobre as pessoas que perturbam o seu sono.

PRIORIDADE AO CRIME -Rui Conde.

Comandante distrital da PSP, desconhece e discorda desse tipo de observações.
Consciente da existência de problemas causados pelo ruído, explica que nem sempre é possível deslocar de imediato agentes ao local porque dão prioridade ao combate
à criminalidade. “Os alunos do ensino superior saem à rua para se divertirem.
Esquecem-se que a esfera de liberdade deles interfere com a dos outros”, observa
o comandante da PSP. Rui Conde esclarece, contudo, que a PSP só pode actuar se for
apresentada queixa. “Não os podemos impedir de falar, mas apenas aconselhar a falar mais baixo. Em relação aos bares,não somos nós que os licenciamos.”No sentido de tentar resolver este problema, o comandante da PSP aconselha os moradores a apresentarem uma exposição conjunta à polícia, câmara e Governo Civil.
Na última reunião de Assembleia Municipal de Leiria, Raul Castro, presidente da Autarquia, comprometeu-se a encerrar os bares que têm problemas de insonorização e actuar sobre os que não possuem licença.
Em resposta a uma exposição enviada por uma outra moradora do centro histórico,
Nuno Mangas, presidente do Instituto Politécnico de Leiria (IPL), explica que têm sencadeado sucessivamente acções de sensibilização visando “disciplinar os excessos dos estudantes”.Rui Conde assegura que a PSP também já seguiu esse procedimento.
João Rodrigues, presidente da Comissão Instaladora da Federação Académica de Leiria,revela que estão a tentar encontrar uma solução, em conjunto com o IPL, para conseguirem resolver este problema.O JORNAL DE LEIRIA tentou ouvir os proprietários de alguns bares do centro histórico,mas tal não foi possível até ao fecho da edição.

Noticia retirada do Jornal de Leiria - edição de 08.10.10, sendo o seu conteudo propriédade do dito jornal.

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

domingo, 3 de outubro de 2010

HÁ MUSICA NA CIDADE 2010







Se dúvidas existissem, no sábado, dia 02 de outubro de 2010, elas foram dissipadas. O Centro Histórico de Leiria é um local que os Leirienses vivem com paixão, basta para isso darem-lhes motivos, ruas sem carros, locais animados, lojas abertas, animação de rua e música, muita música, foi esta a ementa que o Jornal de Leiria serviu no passado sábado. E quando a ementa tem tanta qualidade e variedade, o sucesso está garantido. A simplicidade do evento foi isso mesmo, uma ideia simples, humilde e grandiosa, que deu como resultado final - a adesão plena do público leiriense e das freguesias vizinhas.
Se alguém tinha dúvidas ou precisava de ter um exemplo de como se recupera a dinâmica do CHLeiria ( cidade central ) ele aqui está, animação durante o funcionamento comercial da cidade e a cidade anima-se e renasce, como só os comerciantes Leirienses sabem fazer. Obrigado Jornal de Leiria, fantástico dia que ofereceram a Leiria.
CENTRO HISTÓRICO LEIRIA






CENTRO HISTÓRICO LEIRIA PALCO DO MUNDO EM DESPORTO








Realizou-se no sabado ( 25.09.10 ) a prova de orientação “XII Meeting de Orientação do Centro– XVI Taça dos Países Latinos, XVIII Campeonato Ibérico promovida pelo COC – Clube de Orientação do Centro, a prova decorreu na tarde de sábado, no âmbito da Taça Ibérica de Orientação, que se realizou entre a zona histórica da cidade, entre o Bairro dos Anjos e Santo Estêvão.
CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

MERCADO MEDIEVAL EM IMAGENS









CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

OPINIÃO DE QUEM SABE O QUE DIZ

Num inquérito levado a cabo pelo Jornal " Região de Leiria ", onde era questionada se - A linha de crédito bonificado é a solução para reavivar o Centro Histórico de Leiria ? - foram dadas opiniões muito interessantes e pertinentes. Tendo em conta uma nova forma de olhar o CHLeiria, a Câmara Municipal com o apoio da Caixa de Credito Agrícola apresentou um projeto que coloca ao dispor dos interessados um montante de 10 milhões de euros, sendo que este montante é disponibilizado para todos os interessados em reabilitar o edificado existente no CHLeiria.

" a criação de uma linha depende das condições de acesso e deve destinar-se prioritariamente, a propietários carenciados ou a subsidiar projecto inovadores. - .... - um gabinete jurídico de apoio, uma sociedade de reabilitação urbana. " ( José Vitorino Guerra - morador ).

" è uma das soluções. Se aliada a esta questão da linha de credito bonificada da Caixa de Leiria, a câmara criar, como apresentou no seu programa eleitoral, um gabinete para aligeirar os processos burocráticos no Centro Histórico de Leiria, então será uma solução. É importante que se tomem algumas medidas e esta associada a outras como é o caso do gabinete pode ser a solução " - Luís Ferreira - Comerciante.

" ..tudo é útil para reanimar o Centro Histórico e uma iniciativa destas da Câmara Municipal é sempre bem vinda... - ( Carlos Vitorino - Vereador do PSD )

Outras ( opiniões claro está ) que pelo seu carater desfigurado da realidade e pela falta de carater intelectual não merecem qualquer referencia.

Vale a pena contribuir com ideias construtivas e dar enfase ao esforço de todos aqueles que, de uma forma construtiva e válida se afirmam como verdadeiros Leirienses.

Nota: só merece pertencer à sociedade, quem cumpre as leis da sociedade.


CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

sábado, 25 de setembro de 2010

NA CORTE D´EL REI - ACTO II

Programa - dia 26
D. DINIS - LAVRADOR

- 15h00 - Os artesãos e mercadores iniciam
as suas actividades.
- 16h00 - Visita do Almotacem e do Meirinho
aos artesãos e mercadores.
O homem da vara afere os pesos e medidas.
- 16h30 - O Arauto anuncia o édito que regulamenta
a língua portuguesa, a qual passa a ser
considerada a língua oficial na escritura
de documentos.
- 17h00 - Demonstração de combates na Praça
de armas.
- 18h00 - Recriação: “missa em latim na Igreja
da Pena”.
- 19h00 - Cortejo e inscrição de cavaleiros para
o torneio de armas em honra de D. Dinis.
- 20h00 - Torneio de armas em preito de vassalagem
a El Rei D. Dinis.
- 21h00 - Comer e berer à tripa forra nas tabernas.
- 21h30 - Cantigas de amigo e de amor nos espaços
do Castelo.
- 22h00 - Bufarinheiros e Vendedores da Banha
da Cobra procuram ludibriar alguns
labregos.
- 22h30 - Assalto ao Castelo de Leiria por uma
mesnada de Castelhanos.
- 23h00 - Ensamble de todos os grupos
de animadores do mercado.
- 24h00 - Encerramento do mercado.

ENTRADA GRÁTIS

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

NA CORTE D´EL REI - ACTO I

A Câmara Municipal Leiria, irá realizar este fim de semana um dos maiores eventos jamais realizados no castelo de Leiria, não só pela importância que o mesmo representa para Leiria, mas e sobretudo pela dimensão humana que dará corpo a este fabuloso marco histórico. Recrear a nossa historia com todos os actores e no local certo, é pois já por si um sucesso antecipado. 120 artistas darão corpo a este fantástico cenário, que juntamente com o publico leiriense e convidados, irão interagir, viveremos pois, horas, onde o que respiramos é " nossa história ".

Programa - dia 25
D. DINIS - O LAVRADOR


- 17h00 - Abertura oficial do mercado.
Chegada de El rei D. Dinis e Cortejo Régio.
Leitura do Edital e do Foral que El Rei
D. Dinis manda outorgar a Leiria.
- 18h30 - Entrega de Pinheiros aos lavradores
para a reflorestação dos campos de Leiria.
- 19h30 - Juízo de heréticos e de malfeitores.
- 20h00 - Arauto anuncia os termos do tratado
de Alcanizes.
- 20h30 - Comeres e beberes nas Tabernas
do Mercado.
- 21h00 - Danças e festejos do término da plantação
do Pinhal de Leiria.
- 21h30 - Danças Mozarables e a arte do encantador
de Serpentes.
- 22h00 - Concerto de música das três culturas
com Eduardo Ramos na Igreja da Pena.
- 22h30 - Treino de armas pelos cavaleiros vilãos.
- 23h00 - Teatralização da lenda do Segovim.
- 23h30 - O Assalto do Saltimbanco da Charneca.
- 24h00 - A Lenda da Donzela Encantada.

ENTRADA GRÁTIS.
CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

SEMANA EUROPEIA DA MOBILIDADE - 2010


Dia 18 de setembro 2010

MOBILIDADE ELÉCTRICA E MODOS SUAVES.


Actividade Horário Local

- Carros solares 10h00 às 12h00 e 14h00 às 16h00 Largo 5 de Outubro de 1910
- Sessão e fitness 10h30 Jardim Luis de Camões
- Bike Socorro 10h00 às 13h00 e 14h00 às 19h00 Zona sem tráfego automóvel
- Insufláveis e air bungee 10h30 às 22h30 Largo Papa Paulo VI
- Erradicação da Poliomielite 9.30h às 20.00h Praça Rodrigues Lobo
- Pinturas faciais/
Modelagem de balões 11h00 às 13h00 Praça Rodrigues Lobo
- Gymboree 11h00 às 13h00 e 16h00 às 18h00 Praça Rodrigues Lobo
- Demonstração de veículos
híbridos/eléctricos Todo o dia Largo 5 de Outubro de 1910
- 2 Charretes 14h00 às 20h00 Zona sem tráfego automóvel
- Orbitball 14h00 às 20h00 Praça Goa Damão e Diu
- Toilet Racer 14h00 às 20h00 Praça Goa, Damão e Diu
- Ginástica 14h00 às 20h00 Largo 5 de Outubro de 1910
- 2 segways, 2 easy-gliders, 1
move-away, 1 eco-jump, 1 eco-
4weheel, 1 xtreme kart, a 1sqrl, 1
eco wheel 14h00 às 20h00 Praça Goa, Damão e Diu
- Estátuas vivas 14h30 às 18h30 Praça Rodrigues Lobo
(Junto à Estátuado Pastor Peregrino)
- Posto móvel para a colheita de
sangue 15h00 às 20h00 Zona de cargas e descargas
(da Praça Rodrigues Lobo)
- Monociclistas 1 6h00 às 18h00 Zona sem tráfego automóvel
- Jogos tradicionais (arcos, andas) 16h00 às 20h00 Jardim Luís de Camões
- Caminhada pelo Percurso Polis 16h00 Jardim Luís de Camões
- Avaliação da condição física e
massagem de relaxamento Todo o dia Jardim Luis de Camões
- Street Basket 16h00 às 19h00 Largo do Papa Paulo VI
- Patinagem de iniciação 17h00 às 19h30 Praça Goa, Damão e Diu
- Trio de Clarinetes 19h00 Praça Rodrigues Lobo
_______________________________________________________

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

terça-feira, 14 de setembro de 2010

EFEITOS DA CRISE

Os dados hoje divulgados pela Cushman & Wakefield demonstram que desde 1990 não eram inaugurados tão poucos centros comerciais em Portugal, uma tendência idêntica ao resto da Europa, depois de, em 2009, ter sido batido o recorde de aberturas no mercado português.

"À semelhança do que se verifica na Europa, o nível de actividade no setor de centros comerciais nacional abrandou de forma drástica em Portugal. Depois de em 2009 se ter atingido um novo recorde de aberturas de centros comerciais, o crescimento da oferta no primeiro semestre do ano foi de apenas 0,1 por cento, perto de 20.000 m2".

Nos primeiros seis meses do ano foi inaugurado em Portugal apenas um único centro comercial, o LeiriaShopping, promovido pela Sonae Sierra e, segundo a consultora imobiliária, em 2010, poderá ser atingido um mínimo histórico, registando-se o valor mais baixo de entrada de nova oferta dos últimos 20 anos, a par com o que se assistiu no ano 2000.

Estes são os sinais da crise.

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

A CRISE PODE SER UMA OPORTUNIDADE, BASTA TER VISÃO

Os comerciantes independentes estão a ter dificuldades em pagar as rendas das lojas nos centros comerciais. Os promotores dos shoppings negam que haja elevadas taxas de incumprimento, mas admitem que têm vindo a reduzir despesas comuns como a água, a luz ou a vigilância, e a reforçar campanhas de marketing.

"Em unidades de grande porte, a informação que temos é que as dificuldades de pagamento têm tido dois tipos de consequência: por um lado, os centros comerciais estão a fazer ajustamentos na renda, por outro há lojas que estão a fechar", diz João Vieira Lopes, presidente da Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP).

Vasco de Mello, presidente da União das Associações de Comerciantes e Serviços (UACS), afirma que as maiores dificuldades estão a ser sentidas pelos comerciantes independentes "e têm vindo a aumentar". "Para além de haver uma grande taxa de incumprimento em alguns centros comerciais, haverá também problemas em pagar a fornecedores. Para além disso, olhando para os números das insolvências, verifica-se que o comércio é o sector mais atingido", acrescenta. Segundo dados do Instituto Informador Comercial, entre Janeiro e o dia de ontem, 266 empresas do comércio a retalho (excluindo de veículos automóveis e motociclos) entraram em insolvência, uma subida de 8,13 por cento face ao período homólogo do ano passado.

A Associação Portuguesa de Centros Comerciais (APCC) não confirma os atrasos de pagamento nas rendas e garante mesmo que esta não é "uma questão que tenha relevância no sector". "O negócio dos centros comerciais é uma parceria entre o lojista e o empreendimento. Há uma base de negociação entre ambos", afirma fonte da APCC, que agrega 127 shoppings, com mais de nove mil lojas e onde trabalham 90 mil pessoas.

Na Sonae Sierra, que gere 17,3 por cento destas unidades, reduziram-se as despesas comuns para "apoiar os lojistas a superar os desafios actuais" e preservar "o mais possível os níveis de rentabilidade e de eficiência". Fonte oficial da empresa que gere, por exemplo, o Centro Comercial Colombo explica que os aumentos das tarifas da luz, da água ou dos serviços de limpeza e de vigilância - comparticipadas pelos comerciantes - foram assumidos pelo promotor desde o início do ano, depois de em 2009 os lojistas terem sofrido quebras de vendas. "Não [os] sobrecarregámos com despesas adicionais", sublinha, acrescentando que a actualização das rendas depende do contrato assinado com cada comerciante. "Houve sempre abertura para flexibilizar a situação e isso pode não passar pela redução de rendas", acrescentou.

A Chamartín, que há um ano inaugurou o gigante Dolce Vita Tejo, garante que a taxa de incumprimento "não tem registado oscilações significativas face aos anos anteriores". Em respostas enviadas por e-mail, Artur Soutinho, administrador executivo, diz que o que tem existido "é um maior diálogo com os operadores".

Esse reforço traduz-se, por exemplo, em acções de marketing conjuntas e uma maior aposta em campanhas promocionais "que contribuam para trazer mais afluência e vendas". Sobre o encerramento de lojas apontado pela CCP, Artur Soutinho, que também é presidente da mesa da assembleia geral da APCC, sustenta que fazem parte "de uma dinâmica natural". "As boas práticas dizem-nos que um centro comercial deve efectuar uma rotação de dez por cento das suas lojas por ano, para acompanhar as tendências do mercado e trazer novidades para o tennant mix [distribuição das lojas]", disse.

Nas mudanças que ocorrem nos espaços comerciais, incluindo encerramentos, o lojista está sujeito ao acordo negocial que firmou com o promotor. Em tempo de dificuldades acrescidas no negócio, a CCP critica o facto de, quer os ajustamentos nas rendas, quer os encerramentos estarem a ser feitos de forma "desordenada". "Estamos a tentar negociar com o Governo uma legislação para o tipo de arrendamento que se pratica nos centros comerciais. Os comerciantes estão desprotegidos. Muitas vezes são aliciados na promessa de um número mínimo de visitantes que os shoppings não conseguem cumprir e ficam indefesos", lamenta João Vieira Lopes. A CCP não advoga uma lei rígida, mas exige regras claras, já que a utilização de espaços em centros comerciais não está enquadrada por nenhum diploma legal.

Legislação por aprovar

Em 2006, quando foi aprovado o Novo Regime do Arrendamento Urbano, estava previsto que num prazo de 180 dias o Governo aprovasse o Regime Jurídico da Utilização de Espaços em Centros Comerciais, mas até agora não houve avanços concretos. Para a APCC, "não faz sentido o Estado tipificar os contratos". "Há um contrato entre duas entidades e ninguém obriga ninguém a assinar", sustenta fonte da associação, dizendo que há jurisprudência e não é preciso uma legislação própria. Artur Soutinho defende que a avançar, um novo diploma fará sentido "desde que venha a reforçar a competitividade desta indústria". Já a Sonae Sierra não vê "necessidade de revisão da lei actual".

Com a crise já instalada, esta é mais uma importante vantagem que a conjuntura oferece ao comercio tradicional, para se organizar e se obtiver a dinâmica própria de um promotor UNO, será um adversário a ter em conta. Este é também um dos factores a que os promotores dos Shoppings estão atentos, visto que já existem muitas cidades com uma dinâmica comercial muito interessante, capazes de fixar o publico nos Centros Históricos.

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

PENALIZAR PARA RECUPERAR

A Câmara de Leiria vai penalizar as casas devolutas existentes no centro histórico, através do IMI (imposto Municipal sobre Imóveis). Esta proposta foi apresentada na reunião de câmara, realizada na última terça-feira. Com esta medida a Câmara pretende forçar a reabilitação dos edifícios devolutos, que se calcula serem perto de uma centena de imóveis.

A proposta apresentada tem como base um agravamento de 30% no imposto do IMI, contudo antes de a lista ser enviada para a administração fiscal, os proprietários serão notificados para poderem caso assim entendam reclamar.

Com esta medida a Câmara pretende incentivar os proprietários a recuperar os imóveis devolutos.

CENTRO HISTORICO LEIRIA

terça-feira, 7 de setembro de 2010

BAILA SALSA LEIRIA 2010

18 de Setembro o dia da Salsa.
No próximo dia 18, Leiria vai sentir a mescla de ritmos afro-caribenhos, nascida em Cuba nos anos 60, é uma adaptação do mambo. Hoje é uma musica com fortes influencias de ritmos mais modernos, como o rapp ou techno. Os corpos deslizam num compasso ternário, onde se liberta a sensualidade e o " tempero " do sabor da musica - latino-americana.

Numa mescla de erotismo e sensualidade a salsa é hoje uma libertação dos corpos.

Dia 18 liberta o teu espírito e aceita mais este desafio, vem dançar no " Teu Castelo de emoções ".
CENTRO HISTÓRICO LEIRIA









Na década de 1980 a salsa se espalhou pelo México, Argentina, Europa e chegou ao Japão, onde surgiu a Orquestra de La Luz, banda onde todos os integrantes são japoneses. Enquanto isto, o ritmo do merengue se tornava mais e mais popular em países como Porto Rico, e era o ritmo que embalava as discotecas de música latina.

Um país no qual se produziu, nos últimos anos, uma expansão da salsa com maior vigor é a Colômbia, destacando-se Joe Arroyo, o grupo Niche e a orquesta Guayacán. Entre os híbridos mais recentes da salsa, destacam-se os chamados "mereng-house", a "salsa merengue" e "salsa gorda".

A salsa foi difundida pelo bailarino Fernando Claumann.

Em 2000, surge a primeira companhia especializada em salsa no Brasil, a Conexión Caribe Companhia de Danças, que em 2001 cria o Encontro Nacional de Salsa, evento anual que à partir de 2003 se transforma no Congresso Mundial de Salsa do Brasil, um dos maiores eventos do gênero, no mundo.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

UM FESTIVAL DE SENSAÇÕES ÚNICAS










Se existem palavras para descrever o festival " ENTREMURALHAS ", elas são difíceis de encontrar, a beleza dos espectáculos, as bandas que actuaram deixaram em Leiria um som difícil de encontrar ( os CDs das bandas desapareceram num abrir e fechar de olhos, tal era a qualidade das bandas ). ouvir um concerto dos Ashram, Ataraxia num ambiente medieval, no altar da historia Leiriense foi inesquecível.
Se foi o primeiro, então temos que dizer - venha dai o segundo festival - para que todos os que foram, possam voltar a sentir este fantástico ambiente e para aqueles que por qualquer motivo não puderam subir ao " Céu " de Leiria, tenham a oportunidade de ter uma noite ímpar em Leiria.


Parabéns FADE IN, um trabalho fantástico, parabéns C. M. Leiria, assim podemos ser uma grande cidade.
CENTRO HISTÓRICO LEIRIA





sábado, 28 de agosto de 2010

A FERRO E PEDRA - BY ALEXANDRE ESTRELA





Nascido em 1948, Alexandre Estrela, autodidacta, reutiliza materiais, especialmente os desperdícios industriais para dar corpo à sua arte. Ex-Torneiro Mecânico diz " ser artista é ...fui eu que fiz " e com esta simplicidade que cria a arte de povoar o seu mundo com criaturas grotescas e disformes e por incrível que pareça os objectos de formas despudoradamente fálicas não deixam o " mortal " sem comentário. " A FERRO E PEDRA " uma exposição a ver no Festival ENTREMURALHAS, entre os dias 27 e 28 de Agosto no Castelo de Leiria.
CENTRO HISTÓRICO LEIRIA



SABER OLHAR LEIRIA



Se duvidas existissem sobre a importância do Castelo de Leiria para o desenvolvimento cultural e económico da cidade, bastava subir os poucos metros que separam o ontem do hoje, e ao olhar a cidade a dormitar, convicta que o Castelo lhe irá voltar a dar hoje o que já lhe deu no passado - A identidade, fica a certeza do caminho a percorrer.
Saber olhar o Castelo é saber o caminho do futuro para Leiria, mas só os que sobem é que podem descer.
Subam e façam o favor de desfrutar de Leiria.
CENTRO HISTÓRICO LEIRIA



FIM DO PROGRAMA DE REABILITAÇAO QUE NÃO EXISTIA

A Câmara Municipal de Leiria suspendeu por um ano o programa de reabilitação dos edifícios do centro Histórico, uma decisão que merece todo o aplauso. Não a suspensão, mas sim o motivo da suspensão. Um programa que devido à enorme carga burocrática não tinha o desejado sucesso para que fora criado, era pois um programa fantasmagórico que só servia para dizer “ o apoio existe “, quando na verdade era só de faz de conta. O centro Histórico devido aos seus enormes problemas precisa de um Verdadeiro programa de reabilitação, e esse programa terá que passar pela simplicidade dos processos, como a viabilidade dos mesmos, ou seja simplificar a burocracia e ajudar a implementar o projecto, sob pena de os proprietários desistirem deles antes de os apresentarem, era o que acontecia até aqui.
Existem muitas casas que com umas pequenas reparações nas fachadas, com algumas telhas novas e arranjos interiores, estarão prontas para poderem também elas, serem uma mais-valia na regeneração urbana. Temos que pensar na simplicidade do todo, para que o individual seja praticável e é com esta ideia que estará a nascer uma nova dinâmica dentro do seio da Câmara Municipal. As medidas que serão anunciadas em Setembro/ Outubro pelo executivo levam-nos a ter uma enorme esperança, podendo afirmar que é desta que Leiria terá um centro Histórico reabilitado.

Esperemos pois pelas novidades, certos que elas irão ser criticadas por aqueles que sempre criticam.
Esses… que para quem o mau exemplo a dar é sempre o do vizinho.

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

MAIS UM, E AGORA ?


Mais um… é verdade, mais um bar que foi assaltado.

O centro da cidade de Leiria está a tornar-se no centro do financiamento dos amigos do alheio, contudo e para os responsáveis por esta área – a segurança – os níveis de criminalidade não são preocupantes, não o são porque os prejuízos não são no bolso deles, se o fosse diriam “ quem anda a meter a mão na massa, que é nossa, alto e para o baile”. Já à muito que foram alertados para estas situações e com o nível de dificuldades sociais a aumentar e o policiamento a diminuir, temos pois aqui um local de excelência para estas actividades.
Se uma cidade só vive de noite (é o que os bares querem) também têm que saber conviver com os “ amigos da noite “ e deveriam-se preocupar com a sua (nossa) segurança, contudo o que eles até agora têm preferido é o lucro. Mas esse lucro a curto prazo vai-lhes sair caro, aliás já está.
Vale a pena analisar e estudar esta ligação – Bares inseguros – gente duvidosa – falta de segurança – violência = fim do paraíso e inicio do inferno social, bem entendido, pois o divino também não quer nada com o Centro histórico, pois até as igrejas mandou fechar.


CENTRO HISTORICO LEIRIA

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

A FESTA E O EFEITO


CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

OS VENCEDORES - 9º. ETAPA




Consagraçao dos vencedores da 9º Etapa, onde todas as emoçoes são visiveis na reacção dos atletas, aliado a essa emoção foi fantástica a simplicidade emanada pelos mesmos junto do publíco Leiriense.
CENTRO HISTÓRICO LEIRIA




72º VOLTA A PORTUGAL - A EMOÇÃO







A Volta a Portugal em Bicicleta é uma corrida de longa distância, realizada por etapas, em Portugal. É considerada a maior prova do ciclismo português, tendo tido início em 1927.
A competição começou em 1927, no entanto a segunda edição apenas se realizou em 1931. Em 1936 e 1937, a Volta voltou a não se realizar. Por causa da Segunda Guerra Mundial, voltou a não se realizar de 1942 a 1945. Finalmente em 1975, devido ao processo revolucionário em curso, não houve Volta.
No período de 1940-1980 a competição durava 3 semanas. Nos anos 80 foi reduzida para duas semanas. Actualmente tem apenas 10 etapas devido a compromissos internacionais.
É uma das competições por etapas mais antigas do mundo.


Eis a emoção do desporto.


CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

CAMPANHA DO BAR ANÚBIS

A campanha assenta num conjunto de mensagens direccionadas aos clientes, em diferentes suportes, deixados estrategicamente pelo bar. À entrada, um grande placard informa que o serviço de bar encerra às 1:55 horas. Ao longo da noite, o DJ da casa faz, ao microfone, pedidos de colaboração e adesão à campanha,explicada em cartazes e folhetos distribuídos aos clientes. Ao final da noite,toda a equipa de barmen sai à rua devidamente identificada,com coletes alusivos à iniciativa,para recolher lixo e controlar o ruído.

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

BAR ANÚBIS PRETENDE EDUCAR CLIENTES

O Bar Anúbis, junto ao Largo da Sé, Leiria, pôs em prática, esta semana, uma campanha que visa minimizar os problemas associados à diversão nocturna. Reduzir o ruído e o lixo na rua, após o encerramento do bar, é o objectivo inicial da campanha que não tem, ainda, data para terminar.
Logo que haja resultados, explica o proprietário, Mário Brilhante, “serão partilhados com os
colegas dos outros bares, com as autoridades e com a autarquia”. A iniciativa é particular ( para quando a criação de uma Associação de Bares, a exemplo do que acontece em outras cidades ? ) mas, Mário Brilhante admite que possa vir a servir de exemplo para algo a uma escala maior. “Uma estratégia conjunta que envolva todos os bares, autoridades, autarquia e até os moradores da zona histórica.”
O empresário entende que é importante “mostrar que dentro dos bares há pessoas trabalhadoras, preocupadas, sensíveis às inconveniências inerentes à diversão nocturna e que acreditam que é possível minimizá-las”. Mário Brilhante diz que acções deste género podem também ajudar a desmistificar a imagem dos bares como promotores de desordem. “Os bares são dinamizadores da animação nocturna da cidade. Sem eles, a zona histórica seria um conjunto de ruas onde as pessoas teriam medo de circular.” O empresário lembra que “ao proporcionarem animação aos jovens leirienses e aos estudantes que vêm de fora, os bares assumem um papel importante para a imagem da cidade”, mas que este “é um aspecto muitas vezes esquecido”.
O responsável defende que “o diálogo é o caminho para encontrar soluções para os problemas
da noite. É preciso que todos colaborem”.

A mensagem transmitida pelos Comerciantes e Moradores do CHLeiria começa a dar os seus frutos, e tudo, porque até os Bares que pretendem “ continuar vivos “ sentem que podem e devem também eles preocupar-se com a Segurança e com o Ruído, resultante não da sua actividade mas pelo simples facto de estarem abertos. Ou seja, é importante que os bares se sintam parte activa deste processo e não excluídos dele. Os moradores sempre afirmaram que não estão contra os Bares, e o propriétario do Bar Anubis entendeu perfeitamente este sentimento, e com ele pretende também ele alterar o que está mal e levar acabo acções para alterar este rumo. Pena que não exista uma associação clara de vontades para melhorar cada vez mais esta ideia – Leiria só viverá se existir Pessoas e não Gente.

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

DE DIA - O CÉU, DE NOITE - O INFERNO

Desertificação urbana

Faro, a cidade que morre quando o sol se põe

Cai a noite, a Baixa da cidade de Faro tranca as portas. O centro histórico da capital algarvia está entregue ao abandono. “Uma cidade assombrada”, diz Jorge Gaspar, proprietário do Café do Coreto, situado junto à doca/marina. “Tenho licença para estar aberto até à meia-noite, mas fecho às 22h00.” “Para quê estar de porta aberta, se há noites que não vendo uma bica?” A falta de clientes no Inverno e a insegurança levam o dono do estabelecimento, com 16 empregados, a soltar um lamento: “Sinto um nó na garganta, a ver o que está a acontecer.”

Outrora uma cidade com uma vida cheia, fosse dia, fosse noite. O dia era do turista, a noite do jogem algarvio, mas o medo, a insegurança, o mau ambiente, todas aquelas coisas que ninguem quer, começaram a dominar a noite e hoje nem o medo frequenta Faro à noite.
É este o caminho que espera a tão aclamada noite de Leiria...Imagino que sim, a noite só será boa companhia se andar de mãos dadas com a segurança e o com o prazer de viver em Leiria. Quem escolhe marginaliza e o que nós queremos escolher é o lado bom.

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

COMERCIANTES UNIDOS CONTRA A DESERTIFICAÇAO COMERCIAL

Para combater a desertificação dos centros históricos e lutar contra a hegemonia dos shoppings, as lojas de comércio tradicional estão a desenvolver novas estratégias comerciais. As associações de comerciantes de Bragança, Chaves e Viseu decidiram unir-se num projecto que vai ligar os estabelecimentos comerciais existentes nos núcleos das três cidades e, em Coimbra, o condomínio comercial que junta as lojas da Baixa procura convencer os lojistas a quebrar velhas rotinas.

A ideia dos centros comerciais a céu aberto já é antiga ( lançada por mim em 2008 ) mas cada vez mais lojas nos centros históricos procuram unir-se para enfrentarem a hegemonia dos shoppings. Como voltar a atrair os clientes para as lojas do comércio tradicional? Em Bragança, Chaves e Viseu, as associações comerciais das três cidades estão a criar um projecto, designado Rede Gestus, cuja finalidade é reconquistar os clientes às grandes superfícies. Na prática, a rede vai passar a administrar, com regras de um condomínio ( o que nós não queremos as outras cidades aceitaram e estão a colocar em prática, pedem ajuda e ajuda surge) , os estabelecimentos comerciais existentes nos núcleos das três cidades.

As lojas passam a ter "a mesma imagem, a mesma marca, a mesma filosofia, mas com novas metodologias", sintetiza Ana Coelho, a secretária-geral da Associação Comercial do Alto Tâmega, (ACISAT) de Chaves, no distrito de Vila Real. O projecto, já aprovado pelo Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), envolve verbas de cerca de 700 mil euros que vão servir para promover diversas iniciativas nas três cidades durante os próximos dois anos. Animação de rua, realização de eventos culturais e a divulgação publicitária das lojas comerciais que aderirem à rede são algumas das iniciativas previstas pela Rede Gestus.

Os empresários não vão ter custos acrescidos, mas é-lhes exigida "total disponibilidade", sublinha Gualter Mirandez, presidente da Associação Comercial do Distrito de Viseu (ACDV). Os lojistas deverão estar disponíveis para melhorar a apresentação das montras e adaptar os horários de funcionamento dos estabelecimentos comerciais às necessidades dos clientes. Manter as lojas abertas à hora de almoço e encerrá-las ao final do dia, uma hora mais tarde, às 20h00 ( nòs efectuamos um teste de 3 meses no verão, com a abertura à 5ª. /6ª e sabado até as 12hoo, em 2008, como estavamos no periodo das vacas gordas, poucos foram os que aderiram, agora pedem para abrir ), vai ser a principal e também a mais difícil batalha a travar junto dos comerciantes, que, na maioria dos casos, já levam longas décadas de actividade.

É uma alteração de mentalidade que se impõe porque "não vale a pena ter lojas bonitas e tê-las fechadas quando os clientes precisam ", explica António Monteiro de Carvalho, presidente da ACIBS. A associação local tem tentado convencer, sem sucesso, os comerciantes de Bragança a praticarem horários mais ajustados aos consumidores.

Em Coimbra, a Agência de Promoção da Baixa (APBC) também está a procurar alterar as velhas rotinas das lojas tradicionais: introduzir maior flexibilidade nos horários, sensibilizar os comerciantes para um maior cuidado na preparação e manutenção das montras e a promoção de uma imagem comercial comum por todas as lojas são alguns dos objectivos. "Estamos a conseguir incutir uma dinâmica diferente na Baixa. Muitas lojas já abrem ao sábado à tarde, o que não acontecia; conseguimos oferecer uma hora de estacionamento para quem fizer compras nas lojas aderentes, o que não existia, pressionámos a autarquia para introduzir a videovigilância e combater a insegurança e isso foi alcançado", enumera Armindo Gaspar, presidente da APBC.

Como se pode verificar estas são cidades com empresarios, com a visão de pescadores... Leiria e os seus empresários saberá o que isso é ?.....

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

ETAPA PEDROGAO - LEIRIA

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

72ª VOLTA A PORTUGAL EM BICICLETA


Começa hoje a 72ª Volta a Portugal em Bicicleta na bonita cidade de Viseu. Esta prova rainha do ciclismo nacional tem no dia 14 de Agosto o ponto mais alto ( para nós Leirienses, claro está ), onde se irá realizar um contra-relogio entre a Praia do Pedrogão e Leiria, estando a meta colocada no centro da cidade, em frente ao Banco de Portugal.

Com um percurso de 32,6 kms está poderá ser a etapa da decisão da volta. Leiria volta a estar no centro do panorama desportivo ao ser incluída em mais um importante evento desporto, depois do atletismo é agora a vez da Volta Bicicleta estar presente em Leiria. Uma forma clara de divulgar o bom nome da cidade e uma enorme ajuda económica para o concelho de Leiria.

Esta prova é uma forte aposta clara do Município em desenvolver e dar um sinal claro na importância de Leiria ao nivel do desportivo nacional, tendo já assinado um protocolo com a duração de 3 anos com a organização onde também se inclui a " Volta a Portugal do Futuro ".


Leiria pedala para a grande afirmação como cidade do futuro.

CENTRO HISTÓRIO LEIRIA