sexta-feira, 15 de outubro de 2010

O ESTUDANTE NÃO É PROBLEMA.

Os estudantes não são o problema, o problema é não perceber os estudantes.

Numa altura que se fala dos excessos dos estudante( barulho, álcool e falta de civismo que são os mais comuns), não percebem que não são os jovens o problema do CHLeiria.

O problema é a falta de qualidade lúdica e cultural que a cidade lhes oferece. Numa semana, onde permanecem 5 dias, sem terem onde ir, o que fazer, onde conviver, é normal que o local de culto sejam os bares do CHLeiria. È necessário trabalhar nesta área, a diversidade cultural terá que ter outra dinâmica. Cinema e teatro terão que passar a fazer parte da sua agenda cultural com um acesso mais favorável ( mobilis ) e com um preço vocacionado para os estudantes. As parcerias com os promotores ( cinemas ) terão que ser um dos factores a ter em conta, criar o dia do estudante, no cinema, no desporto, no teatro, será um ponto a desenvolver assim como o comercio terá que oferecer aos estudantes outras condições.

Outro dos aspectos a ter em conta é o desporto. As nossas associações/ clubes não sabem atrair os jovens estudantes para a pratica do desporto no concelho, voltando as costas aos estudantes que poderiam levar o nome de Leiria por este país fora, através da pratica desportiva.

Até hoje a alternativa dada os estudantes foi beber uns copos nos bares do CHLeiria, e os bares aproveitam ( bem ) essa única oportunidade.

Desenvolvam as oportunidades e não a aspirina diária para adormecer a dor, os estudantes agradecem e o CHLeiria também. Se os jovens estivessem divididos e ocupados nestas actividades, os que iam para o CHLeiria não chegariam para acordar “ o morto “. Quem consegue educar massas sem ser com repressão física ou psicológica ?

Vale a pena criar oportunidades…, para acalmar a malta.

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

LEIRIA, CIDADE EXEMPLO

Leiria é hoje uma cidade vazia, sem identidade e perdida no tempo, sem a alma de uma grande cidade.
Hoje é visível que a cidade antiga ( centro Histórico ), se tornou numa zona pobre e fria, com todos os problemas que dai advêm para a cidade e para o seu desenvolvimento. Leiria precisa de um novo e arrojado desafio, que passa pela recuperação desta zona, do seu edificado e da sua vida urbana. O centro histórico pode e deve ser um trampolim para o desenvolvimento económico e social da cidade. A abertura de um open space ( loja do desenvolvimento do centro histórico ) com a finalidade de recolher e desenvolver projectos de recuperação dos imóveis e planificar a sua colocação no mercado do arrendamento para os jovens, tudo num só local, com a capacidade de ser uma loja virtual do centro histórico, onde o potencial do centro seja colocado à disposição do publico alvo. Numa parceria Câmara/ proprietários .
O desafio do futuro é a capacidade de, ao mesmo tempo que se recupera os imóveis, despoletar a descoberta da cidade pelos leirienses mais jovens, que assim possam conhecer e apreciar viver no centro histórico e voltar a dar a esta cidade a vida de outrora. Muito se fala do centro histórico e da sua morte anunciada, se este desafio for levado a sério como um facto de desenvolvimento essencial para Leiria, teremos então uma cidade rejuvenescida e com capacidade de ter um futuro mais promissor com capacidade de atrair o tão desejado sucesso.

Luis Ferreira
Empresário

Diário de Leiria, 13.10.10, rubrica - UM DESAFIO PARA LEIRIA.

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

CÂMARA ACABA COM MAIS UM BURACO EM LEIRIA

Ficou finalmente resolvido o problema do Buraco. A autarquia no passado dia 6 de Outubro deliberou a adjudicação da obra, para que a mesma esteja concluída até julho de 2011, prazo dado para que os fundos comunitários não caiam em “ Buraco roto “. O investimento é de 779 mil euros e a comparticipação do fundo europeu é de 70% ou seja – 545,300.00 euros, podemos dar-nos ao luxo de perder esse valor? – Julgo que não.
No entanto a posição dos Vereadores do PSD é no mínimo curiosa, se não reparem, 12 anos no poder e não tiveram a capacidade de resolver nenhum problema que os mesmos foram criando no CHLeiria (barulho, estacionamento, etc., etc.), digo bem, não tiveram a capacidade de resolver os problemas e um deles, o maior, é o cancro do buraco no CHLeiria e vêm agora criticar o que eles próprios aprovaram no anterior executivo, o projecto. A quem interessa um auditório que fica espectáculo após espectáculo às moscas? Ao CHLeiria não é, aos Leirienses também não.
Dr.ª. Neusa Magalhães, não podem criticar conforme o vento sopra, devemos sim estar ao lado daqueles que durante anos lhe deram o apoio (voto) e que por vários motivos entenderam que V. Exa. e companhia não o mereciam mais. Haja respeito pela cidade e pelos Leirienses. Nós merecemos respeito. No futuro votem a favor da cidade e não dos interesses partidários, estamos fartos desse jogo.

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

ATÉ QUANDO VAMOS TER ESTAS NOTÍCIAS?

O barulho provocado pelos estudantes do ensino superior durante a noite e madrugada,que se intensifica neste período do ano devido à recepção ao caloiro, está a levar alguns moradores a abandonarem o centro histórico. Além do ruído,é ainda frequente os jovens urinarem e vomitarem juntoàs casas.

Residente próximo da Praça Rodrigues Lobo desde que nasceu, um dos moradores
contactado pelo JORNAL DE LEIRIA está a equacionar procurar casa noutro lado, devido
ao desgaste causado pelo barulho permanente, que só o deixa dormir a partir das 2
horas. Ou seja, depois de os bares fecharem e de os clientes se irem embora. “A paciência tem limites.” “Hoje, as pessoas não respeitam nada nem ninguém. E se chamamos à atenção por urinarem à nossa porta ainda nos oferecem um par de estalos”,
conta, indignado, o mesmo morador, de 40 anos.“Quando era mais novo, se eu e os meus amigos ouvíssemos uma janela a abrir encolhiamo-nos logo. Hoje, até a polícia insultam.” Para o morador, o comportamento dos jovens que frequentam os bares do centro histórico irá contribuir para aumentar a desertificação daquela zona, onde o número de residentes diminuiu de uma forma drástica nos últimos anos.

BARULHO ENSURDECEDOR

Benilde Silva, de 45 anos,também vive um inferno numa das ruas com mais bares do
centro histórico, onde reside há seis anos com o marido.Além do volume elevado da
música do bar ao lado da sua casa, queixa-se do ruído provocado pelos jovens que se
reúnem à porta.Embora os jovens frequentem os bares todos os dias,as terças, quintas-feiras e sábados continuam a ser os dias de mais confusão. “As pessoas não são civilizadas. Agem como se não morasse ali ninguém.De manhã, a rua está toda suja de vomitado”, conta Benilde Silva. “Na primeira oportunidade que tiver de fazer casa, saio. Estou farta de dormir sobressaltada.” Mais próximo da Sé, Sílva Hingá, de 73 anos, também passa grande parte da noite acordada. “Estou cansada daquele batucar todas as noites. Depois, é o barulho cá fora.Berram, bebem e dizem asneiredo. Os passeios metem nojo, devido à urina e ao vomitado”, conta.“Se dizemos alguma coisa,
respondem mal. Já me partiram um vidro com uma garrafa que me entrou pela casa
dentro. Só nas férias é que as coisas acalmam”, lamenta Sílvia Hingá. Apesar da gitação diária, a moradora não pensa abandonar o centro histórico.“Moro aqui há 40 anos. Tenho os meus direitos. Os bares é que foram para lá incomodar”,argumenta.
Os moradores queixam--se ainda da falta de policiamento,que entendem que poderia ser dissuasor deste tipo de comportamentos. Dizem que ligam para a PSP e que a resposta que ouvem é que não têm efectivos disponíveis para enviar para o local e que até
são incentivados a despejar água sobre as pessoas que perturbam o seu sono.

PRIORIDADE AO CRIME -Rui Conde.

Comandante distrital da PSP, desconhece e discorda desse tipo de observações.
Consciente da existência de problemas causados pelo ruído, explica que nem sempre é possível deslocar de imediato agentes ao local porque dão prioridade ao combate
à criminalidade. “Os alunos do ensino superior saem à rua para se divertirem.
Esquecem-se que a esfera de liberdade deles interfere com a dos outros”, observa
o comandante da PSP. Rui Conde esclarece, contudo, que a PSP só pode actuar se for
apresentada queixa. “Não os podemos impedir de falar, mas apenas aconselhar a falar mais baixo. Em relação aos bares,não somos nós que os licenciamos.”No sentido de tentar resolver este problema, o comandante da PSP aconselha os moradores a apresentarem uma exposição conjunta à polícia, câmara e Governo Civil.
Na última reunião de Assembleia Municipal de Leiria, Raul Castro, presidente da Autarquia, comprometeu-se a encerrar os bares que têm problemas de insonorização e actuar sobre os que não possuem licença.
Em resposta a uma exposição enviada por uma outra moradora do centro histórico,
Nuno Mangas, presidente do Instituto Politécnico de Leiria (IPL), explica que têm sencadeado sucessivamente acções de sensibilização visando “disciplinar os excessos dos estudantes”.Rui Conde assegura que a PSP também já seguiu esse procedimento.
João Rodrigues, presidente da Comissão Instaladora da Federação Académica de Leiria,revela que estão a tentar encontrar uma solução, em conjunto com o IPL, para conseguirem resolver este problema.O JORNAL DE LEIRIA tentou ouvir os proprietários de alguns bares do centro histórico,mas tal não foi possível até ao fecho da edição.

Noticia retirada do Jornal de Leiria - edição de 08.10.10, sendo o seu conteudo propriédade do dito jornal.

CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

domingo, 3 de outubro de 2010

HÁ MUSICA NA CIDADE 2010







Se dúvidas existissem, no sábado, dia 02 de outubro de 2010, elas foram dissipadas. O Centro Histórico de Leiria é um local que os Leirienses vivem com paixão, basta para isso darem-lhes motivos, ruas sem carros, locais animados, lojas abertas, animação de rua e música, muita música, foi esta a ementa que o Jornal de Leiria serviu no passado sábado. E quando a ementa tem tanta qualidade e variedade, o sucesso está garantido. A simplicidade do evento foi isso mesmo, uma ideia simples, humilde e grandiosa, que deu como resultado final - a adesão plena do público leiriense e das freguesias vizinhas.
Se alguém tinha dúvidas ou precisava de ter um exemplo de como se recupera a dinâmica do CHLeiria ( cidade central ) ele aqui está, animação durante o funcionamento comercial da cidade e a cidade anima-se e renasce, como só os comerciantes Leirienses sabem fazer. Obrigado Jornal de Leiria, fantástico dia que ofereceram a Leiria.
CENTRO HISTÓRICO LEIRIA






CENTRO HISTÓRICO LEIRIA PALCO DO MUNDO EM DESPORTO








Realizou-se no sabado ( 25.09.10 ) a prova de orientação “XII Meeting de Orientação do Centro– XVI Taça dos Países Latinos, XVIII Campeonato Ibérico promovida pelo COC – Clube de Orientação do Centro, a prova decorreu na tarde de sábado, no âmbito da Taça Ibérica de Orientação, que se realizou entre a zona histórica da cidade, entre o Bairro dos Anjos e Santo Estêvão.
CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

MERCADO MEDIEVAL EM IMAGENS









CENTRO HISTÓRICO LEIRIA

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

OPINIÃO DE QUEM SABE O QUE DIZ

Num inquérito levado a cabo pelo Jornal " Região de Leiria ", onde era questionada se - A linha de crédito bonificado é a solução para reavivar o Centro Histórico de Leiria ? - foram dadas opiniões muito interessantes e pertinentes. Tendo em conta uma nova forma de olhar o CHLeiria, a Câmara Municipal com o apoio da Caixa de Credito Agrícola apresentou um projeto que coloca ao dispor dos interessados um montante de 10 milhões de euros, sendo que este montante é disponibilizado para todos os interessados em reabilitar o edificado existente no CHLeiria.

" a criação de uma linha depende das condições de acesso e deve destinar-se prioritariamente, a propietários carenciados ou a subsidiar projecto inovadores. - .... - um gabinete jurídico de apoio, uma sociedade de reabilitação urbana. " ( José Vitorino Guerra - morador ).

" è uma das soluções. Se aliada a esta questão da linha de credito bonificada da Caixa de Leiria, a câmara criar, como apresentou no seu programa eleitoral, um gabinete para aligeirar os processos burocráticos no Centro Histórico de Leiria, então será uma solução. É importante que se tomem algumas medidas e esta associada a outras como é o caso do gabinete pode ser a solução " - Luís Ferreira - Comerciante.

" ..tudo é útil para reanimar o Centro Histórico e uma iniciativa destas da Câmara Municipal é sempre bem vinda... - ( Carlos Vitorino - Vereador do PSD )

Outras ( opiniões claro está ) que pelo seu carater desfigurado da realidade e pela falta de carater intelectual não merecem qualquer referencia.

Vale a pena contribuir com ideias construtivas e dar enfase ao esforço de todos aqueles que, de uma forma construtiva e válida se afirmam como verdadeiros Leirienses.

Nota: só merece pertencer à sociedade, quem cumpre as leis da sociedade.


CENTRO HISTÓRICO LEIRIA