segunda-feira, 25 de março de 2013

sábado, 2 de março de 2013


O Centro Histórico de Leiria, fruto da inercia comercial e social está à venda. 

O número de imoveis existentes no centro histórico de Leiria à venda é assustador, e mais assustador é a falta de procura pelos imoveis colocados no mercado. Se por um lado temos a crise financeira por outro, e também não menos importante, é a falta de dinâmica empresarial existente na cidade (os edifícios devolutos são tantos que deles não vamos falar agora).

Hoje, o cancro existente no centro histórico está a ganhar a batalha e já derrubou as barreiras do centralismo e galgou para a periferia. Por outras palavras, o problema do centro histórico, habitacional e comercial, é também partilhado pelas avenidas novas, Heróis de Angola e Combatentes da grande Guerra.

Leiria está a morrer, a política do individual ganhou e deixa uma nova doutrina, a solidão mata não só o individuo como também a sua vida. Sem vida a cidade é um fantasma de prédios velhos e esqueletos humanos velhos, que insistem em estar ainda de pé, até quando não sabemos, mas sabemos que a sua força não é eterna e está já no plano inclinado e em declínio. Hoje já se olha para as novas avenidas com a mesma preocupação que se olhava para o centro histórico na década de 80 e de nada serviu as palestras, os fóruns, os estudos, Leiria precisa de sangue novo e dinâmico. Infelizmente não temos vontade de inverter essa tendência, pois a vaidade e a arrogância ofusca a inteligência. Até que a morte nos separe, será este o cruel destino ou teremos mais uma vida para aprender que o erro tem remédio, o que não tem solução é a nossa desunião na procura de soluções para os problemas gerais da cidade. A cidade não é um palco de esqueletos vaidosos e retornados que se julgam donos da verdade e que passam os dias nas escadarias de um qualquer café e que se alimentam da desgraça alheia.

 Leiria é a minha cidade e eu irei lutar por ela. 

CENTRO HIISTORICO LEIRIA