sábado, 30 de novembro de 2013

Aposta de tostões resultados de milhões - I

Qualquer cidade necessita de lojas ancoras para aportar o desenvolvimento económico e a sustentabilidade social.

A primeira aposta devem ser os serviços públicos de proximidade, nomeadamente a concentração e a centralização desse serviços. A instalação da Loja do Cidadão no antigo edifício da Região de Turismos seria a primeira aposta para centralizar o centro no centro. A sucessiva fuga para a periferia da cidade desses serviços teriam agora um local central que dariam um novo fôlego à cidade. A excelência da localização e uma clara aposta na modernização do conceito "serviço publico" pela autarquia, seriam o empurrão para a revitalização urbana.

Um só local, vários serviços. CTT, Finanças, Segurança Social, etc... eram o ingrediente para o menu da promoção da aposta ganha.

Um edifício que pertence "em parte" ao município de Leiria e cujo investimento seria rentabilizado com o aluguer ao instituto que gere as lojas do cidadão durante a  vigência do contrato celebrado entre este e o municipio.

Uma aposta de tostões resultava no ganho de milhões.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

HUMUS - BOAS IDEIAS.


 
A HUMUS é uma loja colaborativa e mora na Rua Direita do Centro Histórico de Leiria desde Maio. As ruas deste centro histórico pareceram-nos o local ideal para albergar o nosso espaço e as nossas ideias e, cá, estamos.
Neste espaço de quase quatro paredes, é nossa missão: dar a conhecer bons projectos, promover a venda de produtos de qualidade e dar voz a criadores e artesãos. Enfim, o que queremos mesmo é apregoar o que de bom se faz cá dentro. Com produtos em áreas tão distintas procuramos um equilíbrio que assente na qualidade e criatividade, factores comuns a todos, para oferecer somente o melhor.
Quem nos visita encontra objectos do quotidiano, acessórios de moda, artigos decorativos, doces e companhia, brinquedos artesanais, entre outros. Ah, também encontra simpatia e cordialidade! Essas são oferta da casa.
Faça compras no Centro Histórico de Leiria - o comércio Tradicional somos todos nós.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Papelaria Martins



"A Livraria Martins está prestes a celebrar mais um aniversário e o primeiro da nova gerência. Para assinalar esta data, ao longo do mês de Dezembro, poderá encontrar preços especiais em livros para toda a família! Um livro - o melhor presente de Natal! Boas Festas!

Faça compras no Centro Histórico de Leiria.

Garagem (13)

 

Desde 1990 que é uma referência no comércio de acessórios e vestuário… íamos escrever alternativo, mas vamos dizer rock’n'roll (assim lhe chama a responsável pela loja, Maria João Baptista). A marca Obey é actualmente a mais representada. É também estúdio de body piercing e a casa de dois simpáticos canários.

 Rua Barão de Viamonte, 25

Texto de Cláudio Garcia
Fotografia de Ricardo Graça
(Publicado a 28 Novembro 2013)

Tribos Urbanas

 

Santuário do skate em Leiria e ponto de encontro de praticantes de todo o país. A família Tribos Urbanas inclui atletas patrocinados pela casa. Com mais de uma década de existência, a loja de Steve Carreira comercializa pranchas, roupa e acessórios de marca própria, além de calçado, vestuário e acessórios de fabricantes internacionais, incluindo as insígnias mais populares na modalidade.

 Largo 5 de Outubro, 39

Texto de Cláudio Garcia
Fotografia de Ricardo Graça
(Publicado a 28 Novembro 2013)

Sandrine Vieira


A senhora dos anéis transformou-se na rapariga dos brincos de pérola, uma nova colecção inaugurada em Novembro. No ateliê há joalharia de autor – representada no museu MUDE, na revista Umbigo e no livro Stark 500 – e artigos de outros criadores e marcas locais, desde a fotografia à escultura, passando por bolachas daquelas mesmo boas. Tudo fruto da criatividade e da boa disposição.

 Rua Almeida Garrett, 20

Texto de Cláudio Garcia
Fotografia de Ricardo Graça
(Publicado a 28 Novembro 2013)

Maria Trocas

 

Fátima e Cristina Sousa inventaram uma loja de todos para todos, com pintura, fotografia, ilustração e artesanato. Representam a marca de mobiliário Taroca e também comercializam mobiliário restaurado. Aqui há artigos em segunda mão na área da decoração, livros usados, roupa nova de lojas que fecharam, objectos personalizados, chás biológicos, biscoitos e bolachas, serviços de design gráfico e até ateliês dedicados à pintura acrílica e à elaboração de bonecas de papel.

 Largo Marechal Gomes da Costa, 61-63

Texto de Cláudio Garcia
Fotografia de Ricardo Graça
(Publicado a 28 Novembro 2013)

Sensual

 

Não confundir esta loja com uma sex shop. Existe desde finais de Agosto e baseia-se em ideias e produtos eróticos, para a mulher e para o casal. Lingerie, corpetes, óleos e outros. Sem brinquedos, a não ser os que estão no interior da Maleta Vermelha, marca representada em Leiria pela proprietária do espaço, Susana Crisóstomo.

 Rua Rodrigues Cordeiro, 12

Texto de Cláudio Garcia
Fotografia de Ricardo Graça
(Publicado a 28 Novembro 2013)

Alquimia

 

Em tempos conhecida como discoteca Alquimia, continua a ter (e a ser) um espaço dedicado à música. Nos últimos anos, Célia Lopes – directora artística da Fade In Associação Cultural – juntou aos discos (vinil e CD) uma oferta seleccionada de roupa, acessórios e calçado. Incontornável no roteiro do comércio alternativo leiriense.

 Rua Gago Coutinho, 22-24

Texto de Cláudio Garcia
Fotografia de Ricardo Graça
(Publicado a 28 Novembro 2013)

Humus

 

Loja colaborativa inaugurada já este ano por Patrícia Silva, que recebe, expõe e comercializa artigos de diversos designers e artesãos da Região (Leiria, Marinha Grande, Alcobaça) e de outros pontos do país. Desde o artesanato mais tradicional em barro, ferro e cestaria até peças contemporâneas. Estão presentes vinte criadores com bijuteria, malas, molduras, brinquedos e iluminação, entre outras propostas.

 Rua Barão de Viamonte, 33
Texto de Cláudio Garcia
Fotografia de Ricardo Graça
(Publicado a 28 Novembro 2013)

VDesign

 

Há sete anos instalada no coração do centro histórico, Susana Ventura propõe mobiliário restaurado, complementos de interiores e velharias.  Mas há muito mais, entre cantos e recantos de peças decorativas e artesanato urbano, onde até cabem sapatilhas personalizadas. Mesmo em frente ao Centro Cívico Eça de Queirós.

Facebook - https://www.facebook.com//VDesign

Rua Barão de Viamonte, 12 A

Texto de Cláudio Garcia
Fotografia de Ricardo Graça
(Publicado a 28 Novembro 2013)

Livraria Martins

 

Uma das mais antigas, se não mesmo a mais antiga livraria na cidade de Leiria, desde há um ano sob gerência de Edith Catarino. Por ali se destacam, em ambiente acolhedor e personalizado, edições antigas e livros sobre a região e a respectiva história. Mas nos expositores também há espaço para novidades editoriais e best-sellers, promoções e pedidos sob encomenda.

 Rua Miguel Bombarda, nº 10.

Texto de Cláudio Garcia
Fotografia de Ricardo Graça
(Publicado a 28 Novembro 2013)

Kristine

Um ateliê de moda onde se inventam peças únicas a preços para todas as bolsas. Vestidos para o dia-a-dia a partir de 75 euros, em média. A inspiração e imaginação de Kristine Costa deambulam através do universo alternativo, gótico, barroco, rococó, vitoriano, burlesco, pin-up e rockabilly. A estilista cresceu no ambiente da alta costura de Paris, onde mãe era costureira da casa Nina Ricci. Em Leiria vive o sonho de criança, do tempo em que brincava com tecidos para vestir bonecas.

 Praça Rodrigues Lobo, 52, 1º piso

Texto de Cláudio Garcia
Fotografia de Ricardo Graça

Just Tattoo’s

 

Estúdio de tatuagem fundado há 10 anos, está agora na sala de visitas da cidade, onde ocupa um edifício antigo com gabinetes para seis tatuadores. Ambiente descontraído e interacção fácil com os clientes, que marcam a diferença. Tortura, mas com jeitinho. Pedro Brandão, Ouriço Cantela e Jorge Silva são os artistas proprietários do espaço, que já conquistou vários prémios nacionais.

 Praça Rodrigues Lobo, 46.

Texto de Cláudio Garcia
Fotografia de Ricardo Graça
(Publicado a 28 Novembro 2013)

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Reabilitar Leiria para o sec.XXI

As cidade modernas estão sobre um novo paradigma, ou se renovam ou perdem a competitividade.

A forte pressão sobre a competitividade é um sinal social gerado pelas crescentes necessidades levadas a cabo pela globalização e pela deslocalização em massa das novas gerações. Também hoje as cidades necessitam de oferecer mais e melhores oportunidades, caso não o façam são ultrapassadas pelas suas concorrentes nacionais.
 
Assim, Leiria necessita rapidamente de um novo rumo para a tão chamada competitividade económica urbana.Que características deve Leiria assumir como pilar de desenvolvimento? - A sua Centralidade.
 A sua localização geográfica é hoje uma mais valia que nunca foi rentabilizada pelos atores políticos.

" Leiria no centro do Mundo " poderá ser o tema central para devolver e desenvolver a chama do relançamento económico e social que perdeu nos últimos tempos, fruto da inércia e da apatia dos agentes económicos e políticos. A aposta nessa centralidade pode e deve ser focada em três prossupostos: inovação industrial, reabilitação urbana e tecnologias de informação/ comunicação. A massa critica deve centralizar as suas energias num debate sério de forma a colocarem em marcha um plano de desenvolvimento alongo prazo, 10 anos seria o ponto de partida. Com um plano de ação a 10 anos, Leiria deveria colocar a sua estratégia à venda e assim assumir essa componente comercial. A venda da sua centralidade a nível nacional e internacional, sustentará um desenvolvimento económico e financeiro que permitirá alavancar os projetos e os investimentos necessários para essa afirmação, a afirmação da "cidade do futuro".  A criação dessa nova linha tecnológica de informação potencializará também ela as outras áreas, como a cultura da saúde e o turismo religioso, tão característicos em Coimbra e Fátima.

Leiria será a cabeça de um corpo territorial na região centro e o motor para a sustentabilidade das novas economias emergentes; a inovação industrial (Marinha Grande e Leiria ), o reposicionamento das empresa de construção para a reabilitação urbana e a aposta nas tecnologias de informação (saúde e bem estar) e comunicação ( divulgação e comercialização dessas novas tecnologias). O tema está lançado, o futuro será nosso ou as nossas cidades parceiras serão as nossas fronteiras.
  

sábado, 23 de novembro de 2013

Leiria S.A.

A transformação dos nossos hábitos comerciais e a crescente economia online, exigirão do comercio tradicional uma nova abordagem ao mercado.

A Leiria hoje vive o fantasma da desertificação comercial. As promessas de melhores dias desapareceram com o passar dos dias e a renovação dos votos não augura nada de novo. Com a crise de identidade bem vincada e fortemente enraizada nas veias da urbe, a cidade está em coma profundo. E se por um lado o medico é incapaz, também o doente não parece ter vontade de recuperar.

Aquilo porque estamos hoje a passar tem pouco que ver com a crise, mas sim com a falta de uma estratégia comum de desenvolvimento economico. O mundo está em mudança e não reclama esforços para mudar esse estigma, sempre existiram crises económicas e aos quais as pessoas se habituaram a vencer. As mudanças provocadas pelos novos habitos levam a que os agentes economicos pensem a cidade como uma S.A (sociedade anonima), Leiria precisa de gestores para comandar esse barco, o barco da transformação do trabalho em desenvolvimento gerador de riqueza.  A idade da Pedra já acabou.