sábado, 14 de dezembro de 2013

O marketing urbano.

A identidade e o estilo de vida de uma cidade são, hoje em dia, arquitetados no modo de vida e pela valorização ou reinvenção do seu património.

A reinvenção desse património funcional em vários domínios, resulta numa crescente procura da noção da conservação  urbana. A sua reinvenção é muito mais que uma moda, é uma afirmação cultural, que se irá desenvolver na crescente competitividade interregional.

A introdução da figura do marketing urbano é crescente e tornou-se necessária não só pela necessidade de empresarialização da cidade, mas e também, pela necessidade de vender " o produto" -  a cidade. A forte concorrência existente entre os territórios , nunca é descipiendo de salientar, criou uma nova necessidade, a marca da cidade, numa lógica de promoção de um produto sendo que o património é o recurso estratégico para a afirmação dessa estratégia da imagem de marca.

O marketing urbano tornou-se assim na ferramenta que, impulsionado pelas crescentes necessidades empresariais urbanas, reinventa a cidade com a difusão de uma nova(s) imagem(s) que visa potenciar a crescente dinâmica de classes. O marketing utiliza três áreas para a sua intervenção; a paisagem urbana e arquitétonica, a reinvenção e valorização do património e a dinamização cultural histórica como forma de fixação no espaço publico de vida intergeracional permanente.